Será possível?!

Limo-Jet. Uma limousine feita a partir de um… Learjet

Porque a imaginação não tem limites, a Jetsetter fez o impensável: construiu, não um carro voador, mas um avião para o asfalto. Esta é a Limo-jet.

Apresentado há apenas alguns dias no KnowledgeFest, uma feira de eletrónica em Dallas, EUA, o projeto saiu da mente da dupla Dan Harris e Frank DeAngelo, no distante ano de 2006. Embora só tenha sido finalizado agora, com a divulgação na sua página do Facebook, do produto final.

Na base do projeto está um jato privado Learjet, a que foi adaptada toda uma estrutura tubular, suspensão, luzes e rodas. E cujo interior foi também totalmente reformulado, surgindo, nesta nova “configuração”, repleto de luzes e neons, altifalantes e outras tecnologias, além de bancos suficientes para acomodar os convidados de uma pequena festa. Tal qual como uma enorme limousine!

Quanto ao outrora cockpit, viu a sua composição reduzida a apenas um único banco, tipo bacquet de competição, instalado defronte de um volante, painel de instrumentos e manípulos de automóvel. Mas também uma série de pequenos ecrãs a preencherem o tablier — talvez permitam mostrar o exterior, ajudando nas manobras de estacionamento, que se prevêem difíceis…

RELACIONADO: O dia em que falei com o CEO da Audi sobre carros voadores

Batizado de Limo-Jet, o avião-carro — ou será carro-avião?… — mantém ainda apenas o acesso do Learjet, ou seja, através de uma única porta lateral, integrada numa fuselagem que, no modelo de exposição, surge pintada num vermelho metalizado.

Não, não é a jato…

E sim, podemos ainda ver os “casulos” dos motores a jato do Learjet, mas estes não contêm os motores. Como dá para ver, foram transformados num mero componente decorativo (até porque manter a propulsão a jato, na estrada, seria um problema mais…), iluminados, para potenciar (ainda mais) o efeito showoff

Embora sem revelar as características técnicas, ou até mesmo as dimensões e peso desta invulgar proposta, a Jetsetter avançou já que, em substituição do sistema de propulsão aeronáutico, os mentores do projeto decidiram escolher — poderia lá ser de outra forma… — um V8 de origem não especificada, sem desvendarem qualquer outro dado sobre o mesmo.

RELACIONADO: Porsche rende-se à nova tendência e adere aos carros voadores

Aceitam-se encomendas

Igualmente por esclarecer fica, após a apresentação da suposta versão de produção em Dallas, qual o preço final deste invulgar veículo, já que a empresa pretende aceitar encomendas para mais unidades. O qual, sublinhe-se, os seus mentores garantem estar homologado para utilização nas estradas do dia-a-dia.

Estradas, mas dos Estados Unidos. Que se saiba, (ainda) não da Europa…

Sabe responder a esta?
Quantos SUV e crossovers já vendeu a Skoda?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Sucesso. Os SUV da Skoda atingem marco histórico

Mais artigos em Notícias