Espaço Hyundai

A ascensão dos «pequenos» motores Turbo

Por vezes, são as pequenas soluções que fazem as grandes diferenças. Este artigo do Espaço Hyundai é sobre isso. Uma viagem pela ascensão dos motores turbo de baixa cilindrada.

Já ouviste falar do efeito borboleta? O efeito borboleta faz parte da teoria do caos, uma teoria desenvolvida em 1963 por Edward Lorenz, e que hoje tem aplicação em todas as áreas da ciência.

Em breve trecho, este «efeito» defende que o ténue bater de asas de uma borboleta num determinado local pode gerar uma sucessão de acontecimentos, que em última análise podem radicar numa tempestade do outro lado do mundo. Impressionante, não é?

O «efeito borboleta» da indústria automóvel

O «efeito borboleta» da indústria automóvel tem sido os motores turbo de baixa cilindrada. Motores mais compactos, de menores dimensões, que convencem cada vez mais consumidores.

As vantagens dos nossos motores turbo são claras — são leves, eficientes e ao mesmo tempo flexíveis. Com os novos motores Kappa da Hyundai alcançámos consumos e emissões mais baixos sem comprometer o prazer de condução. Provámos que os nossos motores podem ser poupados e divertidos.

Dr. Michael Winker, Responsável de motores da Hyundai European Tech Center.

Tal como a ténue borboleta, os pequenos motores turbo também foram os grandes responsáveis por uma onda de propagação que alterou a face da indústria automóvel.

Um motor turbo em testes num banco de ensaio. Neste artigo há um vídeo sobre o desenvolvimento do motor Kappa 2.0 da Hyundai, que equipa o «todo poderoso» Hyundai i30 N.

Mas quando é que tudo começou?

Norma EURO 6c
A norma Euro 6c, atualmente em vigor, obriga os fabricantes tratarem os gases de escape através de sistemas como os catalisadores, filtros de partículas e sistemas de redução catalítica seletiva (SCR) — no caso dos Diesel.

Em 1988, a União Europeia estabeleceu pela primeira vez regras sobre as emissões dos veículos, denominando-a EURO 0. Desde então, todos os veículos vendidos na Europa são obrigados a cumprir esta norma que tem vindo a evoluir ao longo do tempo.

Desde 1988 passamos através do EURO 1, 2, 3, 4, 5 e as normas atuais, EURO 6. Quanto mais restritivas começaram a ser a normas Euro, maior a pressão sobre os motores atmosféricos. Depressa se verificou que os motores atmosféricos de maior cilindrada não conseguiam acompanhar a evolução das normas.

Kappa hyundai
Atualmente os motores turbo na Europa representam mais de 90% do mercado.

O ano passado, a Honeywell Transportation Systems, o maior fabricante de turbos em todo o mundo, descreveu os tempos que vivemos como a “era dourada dos motores turbo”. Tanto assim é que a produção de motores turbo face aos motores atmosféricos quase ditou a extinção destes na Europa. Hoje, a norma da indústria automóvel são os motores turbo.

Uma tecnologia antiga mas mais atual que nunca

A tecnologia Turbo não é propriamente nova. De resto, é uma tecnologia que já existe desde a década de 30 na aviação militar.

Os turbos foram pela primeira vez usados nos aviões bombardeiros para aumentar a potência e diminuir os consumos, aumentando assim o raio de alcance das operações militares.

Tivemos de esperar até 1963 para assistir ao lançamento do primeiro automóvel com tecnologia Turbo, pela mão da General Motors num modelo da Oldsmobile. Desde então, percorremos um longo caminho.

Vídeo do desenvolvimento do Kappa 2.0 Turbo da Hyundai:

Outrora autênticos sorvedores de gasolina de alta cilindrada, hoje os motores turbo a gasolina são totalmente distintos dos seus antecessores. O motor Kappa 1.0 T-GDI é um bom exemplo.

Os segredos dos motores Kappa T-GDI da Hyundai

A designação Kappa refere-se à mais recente família de motores a gasolina da Hyundai. Desta vasta família, destacamos o bloco 1.0 T-GDI nas versões de 100 e 120 cv de potência.

Uma motorização de última geração que recorre às mais recentes tecnologias para reduzir os consumos e emissões.

Uma das «jóias da coroa» deste gigante coreano que até 2021 quer ser a marca asiática mais vendida na Europa.

Neste motor tricilíndrico, com apenas 1 litro de capacidade, a Hyundai recorreu a várias soluções para aumentar a agradabilidade de condução e reduzir os consumos e emissões.

Uma das mais importantes diz respeito a tecnologia utilizada no turbo, que está equipado com uma válvula «waste gate» controlada eletronicamente para aumentar eficiência da combustão, melhorar a resposta a baixas rotações e proteger o motor de picos de pressão.

Para retirar o máximo rendimento de cada litro de gasolina, a Hyundai equipou este motor Kappa com injetores GDI de seis orifícios (produzidos com recurso a tecnologia laser), capazes de atingir os 200 bar de pressão, para assegurar uma combustão limpa, eficiente e homogénea.

Este motor anuncia um nível médio de emissões abaixo dos 95g/km de CO2.

Outro dos segredos do motor Kappa 1.0 T-GDi diz respeito ao seu sistema de refrigeração. O bloco do motor e a cabeça do motor têm os circuitos de refrigeração separados, esta solução permitiu aos engenheiros da marca controlar a temperatura do motor de forma independente.

Objetivo? Aumentar a durabilidade dos componentes e maximizar a eficiência do motor.

Por fim, os coletores de escape também estão integrados na cabeça do motor. Com esta solução a Hyundai consegue que o seu motor 1.0 T-GDi atinja a temperatura ideal de funcionamento mais rapidamente, resultando em consumos e emissões mais baixas em condições de utilização reais.

É tudo sobre as maravilhas tecnológicas dos pequenos motores turbo, usando os motores Hyundai como exemplo. Mas se queres continuar a surpreender-te com a tecnologia do «gigante coreano» segue este link. Nem imaginas…

Este conteúdo é patrocinado porHyundai