FT Future of the Car Summit 2018

UE: Estradas europeias com metade dos automóveis em 2050

A comissária europeia dos transportes, Violeta Bulc, partindo da iniciativa Vision Zero, desenhou um futuro cenário onde nas estradas europeias circularão metade dos automóveis de hoje em dia. Como?

Foi no FT Future of the Car Summit, que ocorre em Londres, que Violeta Bulc, comissária europeia dos transportes, na sua apresentação justificou as suas declarações, de como no futuro as estradas europeias terão metade dos automóveis que vemos hoje em dia, com o contexto tecnológico e social em rápida mutação.

Com o advento dos veículos autónomos, e as mudanças sociais a que assistimos — menos proprietários, menos condutores —, o carro fará parte, cada vez mais, de uma rede multi-modal de transportes, existindo condições para reduzir expressivamente o número de automóveis a circular nas estradas.

Eu sei que as pessoas ainda querem ter carros, e eles serão parte da solução, mas o carro tornar-se-á um módulo para apoiar as necessidades dos indíviduos, empresas e sociedade.

Violeta Bulc, Comissária Europeia dos Transportes
Violeta Bulc, Comissária europeia de transportes
Violeta Bulc, no FT Future of the Car Summit

Vision Zero

Estas declarações deverão ser a consequência natural da iniciativa Vision Zero da União Europeia para os transportes em 2050, focando na segurança, ambiente, condução autónoma, o digital e burocracia — zero acidentes, zero poluição e zero papéis é o grande objetivo.

Violeta Bulc reconhece que a Europa tem das estradas mais seguras do planeta, mas os 25 mil mortos e 137 mil feridos registados anualmente, ainda são demasiados — “porque é que concordámos que os transportes matam?”, é uma das suas questões.

No que toca ao ambiente, mais pressão legislativa será colocada nos construtores automóveis para introduzir mais automóveis “verdes”. Atualmente, “o peso na nossa saúde é muito elevado […] — muito mais do que os acidentes rodoviários. Porque é que isto é aceitável?”.

Menos condutores, menos automóveis em circulação

Não desaparecerão, mas futuramente, a comissária europeia dos transportes, prevê também menos proprietários de automóveis, assim como menos cidadãos com cartas de condução: “a atitude para com as cartas de condução está a mudar. A minha própria família quer mobilidade, mas não conduzir”, acrescentou.

O decréscimo de condutores deverá acelerar com a chegada dos veículos autónomos — sem dúvida, o maior fator disruptivo no futuro do automóvel —, que abrirá um novo mundo de possibilidades, sobretudo os referentes aos serviços de mobilidade. Em vez de um automóvel por pessoa, teremos um automóvel que poderá transportar dezenas de pessoas por dia.

Segundo Violeta Bulc, o apelo da condução está também a diminuir, com as gerações mais jovens a quererem usar o tempo despendido na mobilidade para outra coisa qualquer.

E quanto à segurança dos carros autónomos, autênticos computadores com rodas? A discussão da cibersegurança é incontornável, e Bulc assegurou que a UE terá legislação capaz de acompanhar as constantes ciberameças, que tanto podem afetar a segurança rodoviária.

O 2018 FT Future of the Car Summit (Cimeira do Futuro do Automóvel do Financial Times), ocorre em Londres durante hoje e termina amanhã, 16 de maio.

 

 

Sabes responder a esta?
Que motor equipa o novo Suzuki Swift Sport (ZC33S)?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Já conduzimos o novo Suzuki Swift Sport… agora com turbo

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos