Diesel

A tecnologia Diesel “milagrosa” da Bosch é tão simples…

De uma forma muito resumida, vamos tentar explicar-te neste artigo, como é que funciona o sistema que a Bosch afirma que vai salvar os Diesel. A Bosch anuncia emissões de NOx 10 vezes mais baixos do que o limite estabelecido... para 2020!

A Bosch anunciou ontem uma revolução nos motores Diesel — podes rever o artigo aqui (as declarações do CEO da empresa merecem uma leitura atenta). Uma revolução que ao que parece, está totalmente baseada em tecnologias já existentes e, portanto, é uma solução que pode ser aplicada brevemente nos motores Diesel.

A confirmar-se a eficácia desta tecnologia, de um dia para o outro, os Diesel voltam a entrar em jogo e voltam a estar em condições de cumprir as metas de emissão mais exigentes — algumas das quais chegam já em setembro. WLTP, já ouviste falar? 

Mas como é que a Bosch — uma das empresas que esteve no epicentro do escândalo das emissões — operou este milagre? É isso que vamos tentar perceber nas próximas linhas.

Bosch Diesel

Como funciona a nova tecnologia

A Páscoa já lá vai mas parece que a Bosch arranjou forma de ressuscitar os motores Diesel. Este tipo de motorizações estava (e está…) debaixo de fogo devido às elevadas emissões NOx que emitem para a atmosfera — uma substância que ao contrário do CO2 é altamente prejudicial para a saúde humana.

RELACIONADO: Diesel. Como evitar problemas no filtro de partículas, EGR e AdBlue

O grande problema dos motores Diesel nunca foi o CO2, mas sim a emissão de NOx formados durante a combustão — as partículas já são eficientemente controladas pelo filtro de partículas. E foi exatamente este problema, das emissões NOx, que a Bosch atacou com sucesso.

A solução preconizada pela Bosch assenta num sistema de gestão do tratamento dos gases de escape mais eficiente.

Metas mais fáceis de superar
Atualmente, o limite de emissão de NOx é de 168 miligramas por quilómetro. Em 2020, este limite será de 120 mg/km. A tecnologia da Bosch reduz a emissão destas partículas para apenas 13 mg/km.

A grande novidade desta nova tecnologia da Bosch é relativamente simples. Ela assenta numa gestão mais eficiente da válvula EGR (Exhaust Gas Recirculation). Michael Krüger, responsável pela divisão de desenvolvimento de tecnologias para motores Diesel em declarações à Autocar fala numa “gestão ativa da temperatura dos gases de escape”.

Em declarações a esta publicação inglesa, Krüger recordou a importância da temperatura para que a EGR funcione com a máxima eficiência: “a EGR só funciona em pleno quando as temperaturas dos gases de escape superam os 200 ºC”. Uma temperatura que raramente é atingida em trânsito urbano.

“Com o nosso sistema tentamos minimizar todas as perdas de temperatura, e por conseguinte aproximámos a EGR o mais possível do motor”. Ao aproximar a EGR do motor, esta mantém a temperatura mesmo em condução citadina, aproveitando o calor que emana do motor. O sistema da Bosch também gere de forma inteligente os gases de escape, de modo a que apenas os gases quentes passem pela EGR.

Isto permitirá manter suficientemente quentes os gases em recirculação na câmara de combustão, de forma a que as partículas de NOx sejam incineradas, sobretudo em condução urbana, mais exigente não só em matéria de consumos, como também em matéria de manutenção da temperatura do motor.

Quando é que chega ao mercado?

Uma vez que esta solução assenta em tecnologia Diesel da Bosch já utilizada na produção de veículos, sem requerer nenhum componente adicional de hardware, a empresa acredita que este sistema deverá ver a luz do dia dentro em breve.

Sabes responder a esta?
Qual a principal novidade apresentada no restyling do Hyundai i20?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Hyundai i20 renova-se no estilo e na tecnologia

Mais artigos em Autopédia

Os mais vistos