Mobilidade

BMW i. Visionary Mobility. Mais um motivo para visitares o Museu da BMW

Até setembro de 2019 tens mais um motivo para visitar o Museu da BMW em Munique. A marca alemã inaugurou uma exposição temporária dedicada ao futuro da indústria automóvel e da mobilidade urbana, o "BMW i. Visionary Mobility". Mas há mais motivos…

O Museu da BMW em Munique inaugurou este mês uma exposição temporária dedicada à sub-marca i. Uma exposição que não é apenas sobre automóveis, é sobre automóveis, mobilidade urbana e sustentabilidade ambiental.

Nesta exposição apelidada de “BMW i. Visionary Mobility” é possível assistir, ao longo de cinco pisos, a evolução da mobilidade elétrica, factos sobre as megacidades, conhecer as técnicas de construção dos BMW i3 e i8 (através de imagens, protótipos e objetos interativos) e finalmente, aquilo que o futuro nos reserva em termos de condução autónoma e mobilidade nas cidades.

Uma exposição que se reveste de especial importância para a BMW, numa altura em que, mais do que nunca, o setor automóvel está em mutação.

O Museu da BMW e a sede.

Pela primeira vez, a história, o presente e o futuro da mobilidade estão juntas debaixo do mesmo teto”

Para quem gosta da técnica e não só

A exposição está muito equilibrada. Os painéis informativos estão muito bem organizados, e mesmo para quem não acompanha de forma intensa o setor automóvel, conseguirá encontrar motivos de interesse e entender muitos conceitos técnicos.

A título de exemplo, é possível tocar, ver e “sentir” o peso da célula em fibra de carbono do BMW i3. É também possível conhecer mais sobre a história dos carros elétricos na BMW, recuando até aos jogos Olímpicos de Munique de 1972, altura em que a BMW colocou ao serviço da organização dos jogos um BMW 1602 100% elétrico. Autonomia? 30 km.

Continuando a visita pelos vários pisos da exposição, há um que é dedicado à produção sustentável do BMW i3. É possível entender os métodos de construção deste modelo que recorre a materiais naturais como a madeira de eucalipto, a planta tropical Kenaf ou a folha da Oliveira, em substituição de materiais derivados do petróleo, como o plástico.

BMW i. Visionary Mobility
Uma vasta panóplia de materiais naturais usados no BMW i3 em exposição.

Quando chegamos ao topo da exposição — que vale a pena ser vista com tempo (para entreter as crianças o Museu da BMW preparou caderno de pintar, entre outras distrações) — temos uma área reservada ao futuro. Megacidades, mobilidade elétrica e novas formas de encarar a utilização do automóvel são os temas principais. São 10 euros (preço adultos) muito bem empregues e que dão acesso ao restante museu — mas já lá vamos…

A este valor deves somar a viagem até Munique que marcada com antecedência deverá rondar os 130 euros (ida e volta).

BMW i. Visionary Mobility
Os vários níveis de condução autónoma explicados nesta sala.

Outro ponto enaltecido pela na exposição diz respeito à conetividade. Com a evolução nos níveis de condução autónoma (num total de seis níveis), o consumo de dados móveis pelos automóveis vai crescer de forma exponencial, não só por parte do automóvel (partilha de informações de trânsito e comunicação com outros veículos) mas também por parte dos utilizadores, que com mais tempo disponível durante as viagens vão recorrer ainda mais ao consumo de informação.

BMW i. Visionary Mobility
A “BMW i. Visionary Mobility” também aborda a mobilidade. Com destaque para os serviços de carsharing e soluções de mobilidade assentes em aplicações móveis.

BMW por todos os lados

Terminada a visita à exposição BMW i. Visionary Mobility, temos todo o mundo BMW à nossa espera. Motores de aviões, motociclos, as origens da marca, os modelos mais icónicos e até os modelos de competição que nos habituámos a ver nos principais circuitos mundiais, à distância de um olhar.

A maioria dos modelos em exposição não estão inacessíveis, ou isolados, pelo que a BMW confia nos visitantes para preservar o excelente estado das viaturas.

O que é que mais gostei? É difícil destacar um motivo de interesse entre tantos motivos de interesse, mas a exposição dos motores de competição e a evolução dos modelos M são sem dúvida um dos motivos de maior interesse. Podes ver mais imagens no nosso Instagram — neste link.

Se tiverem oportunidade passem por lá, vale a pena!

Sabes responder a esta?
O BMW M3 (E30) nunca foi comercializado na África do Sul. Em vez disso tiveram um…
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

BMW 333i (E30). O «primo do M3» que pouca gente conhece

Mais artigos em Notícias