Tecnologia

Impressão 3D ajuda a manter os Porsches clássicos na estrada

A impressão 3D tem-se revelado como a tecnologia mais amiga dos clássicos. A Porsche revela como esta tecnologia está a ajudar a manter os seus carros históricos na estrada.

Os dados são elucidativos: 70% dos Porsche já produzidos, continuam em condições de circular. Número impressionante, mas também revelador não só da fiabilidade e durabilidade destes desportivos, como também da própria capacidade da marca alemã para deixar os seus clássicos num brinco! Mas, como?

Não só por continuar a fabricar as peças de substituição com os mesmos materiais e da mesma forma, como o fazia antigamente; como através da mais moderna das tecnologias, quando se tratam de peças realmente raras e são fabricadas em números muito pequenos — falamos, claro, da impressão 3D!

Segundo revela o fabricante de Estugarda, existe, atualmente, no departamento de clássicos da Porsche, o Porsche Classic, um catálogo de 52 mil peças para substituição nos mais diferentes modelos do construtor. Número que, apesar da dimensão, não evita, ainda assim, que continuem a existir peças que, de tão raras (muitas vezes por terem sido utilizadas apenas e só em versões especiais e de produção limitada), acabam tendo de ser fabricadas na hora e no momento em que são necessárias.

Porsche 959

O caso do Porsche 959 e da alavanca da embraiagem

É o caso, por exemplo, da alavanca que liberta a embraiagem do Porsche 959. Modelo que é, em si próprio, uma raridade — só 292 unidades produzidas —, o que faz com que as peças para o modelo sejam, também elas, não só raras, como pouco requisitadas. O que não faz com que, de quando em vez, estas não sejam necessárias, como aconteceu com um cliente da marca.

Nessa altura e segundo recorda agora o construtor, a fabricação aditiva, mais conhecida como impressão 3D, foi a solução que acabou por permitir solucionar o problema e criar uma peça igual, de elevada qualidade.

O processo, realiza-se recorrendo a uma impressora laser, que derrete uma fina camada de pó metálico — neste caso aço — com apenas 0,1 mm de espessura, colocando-o sobre uma base. Camada a camada, vai sendo depositado mais material, e no final, obtemos um objeto completo tridimensional.

As vantagens são óbvias. Não é necessário recorrer aos mais onerosos processos tradicionais, como a fundição e outros processos mecanizados, reduzindo a necessidade de ferramentas e até armazenamento, já que as peças são produzidas na hora.

Graças ao sucesso obtido com esta operação, a Porsche já produziu, através deste mesmo processo, mais oito novas peças para substituição nos seus clássicos. Anunciando que estão em estudo o adicionar de mais 20 peças que recorrerão também à impressão 3D.

Porsche Peça 3D 2018
Uma das peças que a Porsche produz através da impressão 3D para os Porsche 356 B e 356 C
RELACIONADO: Uma réplica do motor boxer da Subaru numa impressora 3D? Já é possível

Pensar no futuro

Já a pensar no futuro, a marca alemã tem procurado investir, igualmente, em várias start-ups vocacionadas para a impressão 3D, como é o caso da Markforged.

Esta mesma empresa tem vindo, de resto, a promover, nos últimos meses, várias ações de angariação de financiamento, as quais já resultaram em mais de 57 milhões de dólares. Graças à participação não apenas da Porsche, mas também multinacionais de outros setores de atividade, como a Siemens ou a Microsoft.

Sabes responder a esta?
Qual o significado de Ceed no Kia… Ceed?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Tudo sobre o novo Kia Ceed 2018 em 8 pontos

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos