WRC

WRC 2018. Cinco motivos para não perderes o Mundial de Ralis

Numa altura em que os carros já disputam a primeira prova do WRC 2018, o Rali de Monte Carlo, deixamos-te cinco boas razões para não perderes uma pitada do Mundial de Ralis.

É já este fim-de-semana, que tem início o Mundial de Ralis, em Monte Carlo, aquele que promete ser um dos mais emocionantes e imprevisíveis campeonatos do mundo de ralis dos últimos tempos.

Este ano há mais variáveis a elevarem não só a incerteza, como também a adrenalina, daquela que é uma das competições automóveis que melhores momentos e imagens garante!

Hyundai i20 WRC 2017
Para a Hyundai Motorsport, não há volta a dar, em 2018: é ganhar… ou ganhar.

Por isso, enumeramos-te, em apenas cinco pontos bem fundamentados, as razões porque, este ano, não deves, MESMO, perder o Mundial de Ralis.

1. Os World Rally Cars estarão (ainda) mais rápidos

Para os amantes da velocidade e da adrenalina, só esta razão já é suficiente para arregalar os olhos! Afinal, depois de um 2017 que foi o de estreia dos atuais regulamentos e em que toda a gente andou “às aranhas” a tentar adaptar-se à nova realidade, 2018 surge agora como o primeiro ano em que as equipas já puderam fazer o trabalho de casa, polir aerodinamicamente os seus carros e dar aos pilotos a oportunidade de se adaptarem melhor às respetivas “montadas”.

Em suma, tudo argumentos que fazem acreditar que, este ano, a grande maioria dos pilotos, e principalmente os candidatos ao título, serão mais rápidos em todas as etapas do Mundial!

2. Será o ano da confirmação do regresso do melhor Ogier

Depois de quatro anos de domínio (2013, 2014, 2015 e 2016) escudado no poderio de uma equipa oficial como era a Volkswagen Motorsport, o campeão Sebastién Ogier começou a época passada sob o signo da incerteza: ao serviço de uma equipa nova, semi-privada (M-Sport) e da qual conhecia mal o carro (Ford Fiesta WRC).

Acabou por surpreender, ao conquistar, ainda assim, o penta-campeonato. 2018 será, por isso, o ano da confirmação das inegáveis capacidades de condução do francês.

RELACIONADO: Vídeo. O melhor do WRC 2017 em apenas 3 minutos e meio

3. O regresso de um senhor chamado Sebastién Loeb

Mas se 2018 terá de ser o ano da confirmação para o penta-campeão Ogier, a temporada que agora se inicia será igualmente a do regresso daquele que pode muito bem ser, mesmo se apenas a um nível psicológico, um dos maiores obstáculos à concretização da primeira premissa – nada mais, nada menos, que o eneacampeão (9 vezes) mundial Sebastién Loeb.

Depois de ter andado alguns anos por disciplinas e provas tão diferentes como o WTCC, o WRX, as 24 Horas de Le Mans ou a rampa de Pikes Peak, Sebastian Loeb voltou a dizer “sim” à sua eterna equipa, a Citroën, para, ao volante de um C3 WRC, fazer três etapas deste WRC 2018: México (08 a 11 de março), Córsega (05 a 08 de abril) e Espanha (25 a 28 de outubro).

Mas… e se o “bichinho” voltar?…

Toyota Yaris WRC 2017
Depois dos bons sinais dados em 2017, será o Yaris capaz de chegar ao título?

4. O ano da verdade para a Hyundai Motorsport

Depois de quatro anos a terminar o campeonato “quase lá”, ou seja, quase no primeiro lugar do pódio, a desilusão sofrida em 2017, ao perder o campeonato para um Ogier, fez tocar os alarmes no quartel-general da Hyundai Motorsport. Sem mais espaço para deixar escapar o título, a estrutura responsável por fazer alinhar os i20 WRC oficiais reforçou-se para 2018 com Andreas Mikkelsen e ataca agora o campeonato com uma só saída: ser campeã.

5. O próprio Campeonato do Mundo de Ralis de 2018

Tradicionalmente apontado como um dos campeonatos automobilísticos mais emocionantes, em que os pilotos arriscam mais, para gáudio daqueles que são, não raras vezes, apontados como os melhores fãs do desporto automóvel, motivados pelas imagens espetaculares que o Mundial produz e que dificilmente se podem ver numa outra especialidade, o WRC 2018 surge como a edição em que todos estes argumentos serão elevados a um patamar ainda mais alto.

Desde logo, devido ao facto de, pela primeira vez na história da competição, ser possível assistir a todas as especiais, de todos os 13 ralis que compõem o campeonato, em direto, através da Internet. Isto, num ano em que, à partida, voltam a estar, embora de argumentos reforçados, os mesmos quatro candidatos claros à vitória final: Hyundai Motorsport, Citroën Racing, Toyota GAZOO Racing e a campeã em título M-Sport Ford WRC. Diz-nos tu: será que era possível desejar melhor?…

Citroën C3 WRC
A fazer a travessia do deserto, poderá 2018 ser o ano do regresso ao protagonismo, para a Citroën?

Entretanto e para que não percas pitada da acção, eis as 13 provas do Campeonato do Mundo de Ralis de 2018:

1. Monte-Carlo 25 – 28 Janeiro
2. Suécia 15 – 18 Fevereiro
3. México 8 – 11 Março
4. França 5 – 8 Abril
5. Argentina 26 – 29 Abril
6. Portugal 17 – 20 Maio
7. Itália 7 – 10 Junho
8. Finlândia 26 – 29 Julho
9. Alemanha 16 -19 Agosto
10. Turquia 13 – 16 Setembro
11. Grã-Bretanha 4 – 7 Outubro
12. Espanha 25 – 28 Outubro
13. Áustralia 15 – 18 Novembro

Sabes responder a esta?
Qual é o tempo de aceleração dos 0 aos 100 km/h do Ford Focus RS?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Noruega. Fiordes, elétricos e um Ford Focus RS… táxi

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos