Clássicos

Clássicos Mercedes-Benz são bom investimento, diz estudo

O estudo de mercado realizado pelo Historic Automobile Group International revela um elevado crescimento da cotação dos veículos clássicos Mercedes-Benz.

Ao longo dos últimos doze meses, os analistas de mercado calculam que o Mercedes-Benz Classic Index (MBCI) cresceu cerca de 8,7%. O MBCI é publicado desde 2012 pelo instituto HAGI sedeado em Londres, no Reino Unido.

O Mercedes-Benz Classic Index descreve o desempenho de mercado através do controlo dos resultados das operações de compra e venda dos modelos clássicos da marca. De acordo com o último relatório do Historic Automobile Group International (HAGI), os preços de mercado dos veículos clássicos Mercedes-Benz continuaram a evidenciar crescimento.

Clássicos Mercedes-Benz muito procurados por colecionadores

Com uma considerável subida de mais de 8,7% ao longo dos últimos doze meses, o crescimento médio de longo prazo da cotação dos veículos clássicos da Mercedes-Benz é de mais 8,8%.

No entanto, para que isto se verifique, a perfeita condição dos veículos é um requisito fundamental, o que dada a idade dos veículos só é possível após dispendiosos e exaustivos restauros. É inclusive atribuída uma grande importância ao controlo de todo o trabalho realizado, juntamente com a documentação da condição anterior do veículo.

Existe ainda um bónus especial atribuído às ações de restauro que utilizam peças originais, de acordo com os procedimentos da Mercedes-Benz, tal como acontece nos Classic Centre em Fellbach na proximidade de Estugarda, em Sintra e em Irvine na Califórnia.

Um veículo clássico na condição de novo, restaurado de acordo com as especificações originais do fabricante, terá um valor de mercado extremamente elevado.

RELACIONADO: Mercedes-Benz SL 73 AMG (R129): o roadster que emprestou o motor à Pagani

Após ter atingido um novo máximo de 206,5 pontos em setembro de 2017, desde o início do ano o MBCI registou o maior crescimento medido pelo HAGI entre todas as marcas (+7,6%). Extrapolado para doze meses, a subida do MBCI revela a escalada anteriormente mencionada de 8,7%.

Crescimento da cotação de quatro modelos clássicos Mercedes-Benz

Em outubro os modelos SLC da série 107 e os modelos SEC da série 126 tiveram uma influência positiva. De acordo com as análises de mercado do HAGI, um modelo 500 SLC foi vendido por mais de 110 mil euros no mercado privado.

Clássicos Mercedes-Benz SLC
Mercedes-Benz SLC 500 (C107)

Em setembro, dois modelos clássicos Mercedes-Benz foram negociados a preços elevados: o 190 SL (W121) é atualmente negociado a um preço a rondar os 200 mil euros. O roadster fabricado entre 1955 e 1963 é um dos veículos clássicos mais procurados da atualidade e viu o seu valor duplicar nos últimos dez anos.

Clássicos Mercedes-Benz 190 SL
Mercedes-Benz 190 SL (W121)

Também as unidades em boas condições de conservação do Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet (W111) registaram uma subida de cotação, e atingiram os 400 mil euros, e até mais de acordo com o seu estado. O luxuoso cabriolet de quatro lugares, fabricado entre 1969 e 1971, é outro dos favoritos dos colecionadores.

Clássicos Mercedes-Benz 280 SE
Mercedes-Benz 280 SE 3.5 Cabriolet (W111)

Índices do HAGI estabelecidos como referências a nível internacional

Os índices do HAGI foram lançados em janeiro de 2009 e englobam várias marcas de automóveis. Foram estabelecidos como referências a nível internacional no mercado de veículos clássicos. O Mercedes-Benz Classic Index (MBCI) foi lançado em 2012 com uma cotação inicial de mercado de 100 GBP (cerca de 100 euros) no dia 31de dezembro de 2011. Em outubro de 2017 valia mais de 200 pontos. O MBCI regista atualmente o crescimento da cotação de 44 veículos clássicos da marca, 23 dos quais são considerados pelo HAGI como os veículos mais importantes da história do automóvel.

O Museu Mercedes-Benz

Recentemente tivemos oportunidade de visitar o Museu da Mercedes-Benz, situado em Estugarda, Alemanha, e que abriu as portas em 19 de maio de 2006, já lá vão mais de 10 anos.

A construção demorou cerca de dois anos e meio, mas é o único Museu no mundo capaz de mostrar 125 anos de história da indústria automóvel.

O Museu, com uma área coberta de 4800 m2 e uma altura de 47,5 metros, ocupa um espaço de 210 000 m3. Nele encontram-se cerca de 160 veículos e 1500 objetos expostos, apresentados aos visitantes em dois percursos interligados, que percorrem nove andares com um total de 16 500 m2.

Ao longo do primeiro percurso, existem sete áreas designadas como “Legend Areas”, que relatam a história da marca por ordem cronológica, destacando os maiores ícones da marca, como o Mercedes 300 SL, o “asas de gaivota”.

Mas nem só de clássicos Mercedes-Benz vive o Museu. As áreas “Collection” apresentam a enorme variedade de veículos Mercedes-Benz de acordo com o respetivo tema.

Para além destes, uma mais recente área dedicada à AMG também vale a pena ser visitada.

Consulta aqui mais informações sobre o Museu da Mercedes-Benz.

Mais artigos em Notícias