Apresentação

Ferrari FXX-K Evo. Ainda mais colado ao asfalto

O Ferrari FXX-K passa a FXX-K Evo. Destaca-se a revisão de toda a sua aerodinâmica, que incrementou substancialmente os níveis de downforce.

Como se o Ferrari FXX-K já não fosse a máquina demolidora que é, a marca italiana acaba de apresentar o FXX-K Evo, que tal como o nome indica, trata-se de uma evolução da máquina que já conhecíamos.

Para ter acesso a este pacote de evoluções, os clientes dos 40 FXX-K atuais podem atualizar os seus carros, ou então o FXX-K Evo pode ser adquirido por inteiro, já que será produzido em números extremamente limitados. A Ferrari, no entanto, não avançou quantas unidades seriam produzidas.

Ferrari FXX-K Evo

O que evoluiu no Evo?

Resumidamente as alterações efetuadas focaram-se na obtenção de níveis superiores de downforce e menor peso. Os valores de downforce melhoraram em 23% relativamente ao FXX-K, e são superiores em 75% ao LaFerrari, o modelo de estrada do qual deriva. A 200 km/h o FXX-K Evo é capaz de gerar cerca de 640 kg de downforce e 830 kg à sua velocidade máxima. Segundo a Ferrari, são valores próximos dos conseguidos pelas máquinas que participam nos campeonatos de GTE e GT3.

Especificações
Não recebeu alterações mecânicas, mas para quê? Ainda mantém o épico V12 NA com sistema HY-KERS, debitando um total de 1050 cv e mais de 900 Nm. O V12, por si só, alcança 860 cv às 9200 rpm — o equivalente a 137 cv/l. A transmissão às rodas traseiras é garantida por uma caixa de dupla embraiagem de sete velocidades. Vem equipado com pneus Pirelli PZero slicks — 345/725 - R20x13 é a medida do pneu traseiro. Os travões em carbono têm 398 mm de diâmetro à frente e 380 atrás.

 

Estes números são conseguidos graças a uma profunda revisão aerodinâmica. O FXX-K Evo ganha uma nova asa traseira fixa, otimizada para trabalhar em sinergia com o spoiler traseiro ativo.

Como podemos observar essa asa é suportada por dois suportes verticais laterais (as barbatanas), como por uma barbatana central. Esta permite maior estabilidade em ângulos yaw baixos, como também serve de suporte aos três geradores de vórtices de formato triangular. Estes últimos permitem limpar o fluxo de ar na traseira do carro permitindo maior eficácia da asa traseira, que ajuda a incrementar o valor de downforce gerado pelo sistema traseiro em 10%.

Também os para-choques dianteiro e traseiro foram alterados, aumentando a eficácia do fluxo de ar e gerando mais downforce — 10% à frente e 5% atrás. Também o fundo do carro foi revisto, ao terem adicionado geradores de vórtices. Estes capitalizam os ganhos conseguidos nas revisões da frente e traseira permitindo gerar mais 30% de downforce comparando com o FXX-K.

Mais revisões para além da aerodinâmica

Para lidar com os valores superiores de downforce, a suspensão teve de ser reajustada. Também o arrefecimento dos travões foi otimizado, com o redesenhar das entradas de ar para os mesmos. Apesar das adições que assistimos, a Ferrari afirma que o peso baixou relativamente aos 1165 kg (a seco) do FXX-K. Por quanto é que ainda não sabemos.

No interior, podemos ver um novo volante, derivado dos usados na Fórmula 1 e integra o Manettino KERS. Recebeu igualmente um ecrã de maiores dimensões que integra um novo sistema de telemetria, que permite aceder mais facilmente e de forma mais clara aos diversos parâmetros de performance e estado do carro.

LÊ TAMBÉM: A Ferrari não vai ter um SUV… vai ter um FUV!

O Ferrari FXX-K Evo será um dos protagonistas do Programa XX para a época de 2018/2019, tendo já efetuado 5000 km de testes de desenvolvimento e 15 mil quilómetros de testes relativos à fiabilidade. O Programa XX irá passar por nove circuitos entre março e outubro e como já começa a ser tradicional também farão parte do fim de semana Finali Mondiali que marca o fim da temporada desportiva.

Ferrari FXX-K Evo

 

 

Mais artigos em Notícias