Salão de Frankfurt 2017

Project One: o futuro da AMG começa com um Fórmula 1 de estrada

A Mercedes-AMG revela por fim o Project One, o elo de ligação mais direto possível entre a Fórmula 1 e os AMG de estrada.

Apresentado ontem ao final da tarde, o Mercedes-AMG Project One parece ter tudo para se tornar um dos maiores destaques do Salão de Frankfurt. O primeiro hiper carro da marca alemã vai buscar aos Mercedes-AMG W08 que participam no campeonato de Fórmula 1 o seu grupo motriz, e integra-os num corpo que fica a meio caminho entre um carro de estrada e um protótipo de Le Mans.

Vamos ao cerne da questão. Atrás dos dois ocupantes está o mesmo 1.6 V6 turbo – profundamente revisto para poder circular na via pública -, acoplado a um par de motores elétricos, com outro par no eixo dianteiro, totalizando mais de 1000 cv.

Mercedes-AMG Project One

Tudo o que sabemos, para já

Números finais ainda não existem, já que a Mercedes-AMG referiu que o Project One prossegue o seu desenvolvimento e levará ainda mais 18 meses até à sua conclusão. Mas informação já existe sobre esta máquina extrema:

  • Eixo traseiro recebe mais de 680 cv de um 1.6 litros, V6 com injecção direta, quatro válvulas por cilindro, quatro árvores de cames, turbo com assistência elétrica e motor elétrico ligado à cambota. Corte de injeção às … 11 000 rpm;
  • Eixo dianteiro recebe 326 cv, cortesia de um par de motores elétricos com 163 cv cada, capazes de atingir 50 000 rpm;
  • Autonomia elétrica de 25 km;
  • Tração às quatro rodas com sistema Variable AMG Performance 4MATIC+ com a motricidade traseira a ser garantida por uma unidade híbrida e a dianteira por uma unidade elétrica, com vetorização de binário;
  • Menos de 6,0 segundos até aos 200 km/h. Mais de 350 km/h;
  • Caixa de velocidades manual de oito velocidades, engrenadas por patilhas atrás do volante, e a permitir também modo automático.

Uma monocoque em fibra de carbono é a base do Project One e tanto o motor como a transmissão apresentam-se como elementos estruturantes, suportando a suspensão traseira. Esta é do tipo multilink (multi-braços), tal e qual na frente e vem com coilovers ajustáveis.

Outros detalhes apaixonantes passam pelas jantes forjadas em alumínio de 10 raios com porca de aperto central, um exclusivo do Mercedes-AMG Project One. E como se pode observar, vêm com uma cobertura parcial em fibra de carbono com funções aerodinâmicas, otimizando o fluxo de ar à volta das rodas. Por falar nelas, estão são de 19″ à frente e 20″ atrás envolvidas por pneus Michelin Pilot Sport Cup 2 285/35 ZR 19 (frente) e 335/30 ZR 20 (trás). Previsivelmente, o sistema de travagem é composto por discos em cerâmica.

Respira-se competição também por dentro

O interior não poderia ser mais funcional – tal e qual um carro de competição. Apenas o essencial marca presença. A informação é concentrada em dois ecrãs de 10″ e o volante é claramente inspirado nos dos monolugares de Fórmula 1 – topo e fundo são planos, com dois controlos integrados, LED’s que indicam quando mudar de relação no topo.

Seria de esperar que o Project One estivesse focado apenas e só na performance, mas a Mercedes-AMG garantiu níveis mínimos de civismo e usabilidade – espelho retrovisor interior substituído por um ecrã que projecta o que a câmara traseira captura, vidros elétricos e ar condicionado, espaços de arrumação para objectos nas portas e por detrás dos bancos e até o sistema de infoentretenimento COMAND marca presença.

O Project One é o início de uma nova AMG

Foi sem dúvida o melhor presente que a AMG nos podia ter oferecido para celebrar o seu 50º aniversário e preparar-nos para o que futuro nos reserva. Um futuro em que os AMG também serão eletrificados – sejam híbridos ou até máquinas totalmente elétricas. Dieter Zetsche referiu:

O futuro da AMG não depende da gasolina, mas também da hibridização e eletrificação. Este carro dá um vislumbre do futuro da AMG. A nossa tarefa não é apenas reinventar o automóvel, mas redefinir a mobilidade.

Dieter Zetsche, CEO Mercedes-Benz

O modelo revelado em Frankfurt ainda é um concept e como já referimos, o desenvolvimento só terminará em 2019, altura em que começarão a ser entregues as primeiras unidades. Cada uma das 275 unidades já tem destino, apesar dos quase 2,3 milhões de euros pedidos.

Vamos dar uma volta: A «fundo» ao volante do Mercedes-AMG E 63 S 4Matic+

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos