Antevisão

Nissan Leaf: menos resistência aerodinâmica, mais autonomia

O novo Nissan Leaf está quase a chegar. A marca japonesa apresentou mais um teaser. A aerodinâmica da nova geração do elétrico está em destaque.

A Nissan tem divulgado, quase a conta gotas, as novidades sobre o novo Leaf. Já ficámos a saber que trará o sistema ProPILOT, que permitirá ter características semi-autónomas.O sistema, que incrementará gradualmente o seu nível de competências, começará por permitir circular numa única faixa de autoestrada de forma autónoma, controlando a direção, aceleração e travagem.

Durante 2018, já o conseguirá fazer em faixas múltiplas – podendo mudar de faixa -, e em 2020 facilitará a condução em circuito urbano, incluindo cruzamentos.

A tecnologia empregue também permitirá ao Nissan Leaf estacionar sem ajuda, com o logicamente denominado ProPILOT Park. Retirará das mãos do condutor ou condutora a, por vezes, melindrosa tarefa de estacionar o automóvel, atuando sobre o acelerador, travão e direção. E pode estacionar tanto em espinha, como em paralelo, de frente ou perpendicular.

Nissan Leaf
As óticas dianteiras vão recorrer a luzes LED.

Prometido também está um estilo mais apelativo e consensual. O novo teaser permite ter um vislumbre do seu perfil, que aparenta semelhanças com o novo Micra. O que nos leva ao último pedaço de informação divulgado pela Nissan.

Além do estilo, o novo Nissan Leaf promete um design capaz de oferecer menor resistência aerodinâmica. Todos os pormenores contam quando se trata de “encontrar” aquele quilómetro extra de autonomia. O Cx de 0,28 do atual deverá melhorar significativamente.

Mas o destaque será a sua superior estabilidade aerodinâmica. Os engenheiros da Nissan referem terem sido inspirados pelas asas dos aviões para conseguir menos resistência e superior estabilidade. O resultado é uma força ascendente nula – permitindo maior estabilidade -, e até superior estabilidade quando em situações de ventos cruzados.

As vantagens são óbvias. Menos resistência, menos energia necessária para manter a marcha, mais autonomia. Outro benefício será o de um habitáculo mais silencioso, com a passagem do ar a ser menos audível.

Estima-se que a autonomia do novo Leaf atinja valores a rondar os 500 km, significativamente superior ao atual. Tal será possível, não só por questões aerodinâmicas, mas também pelo recurso, segundo os rumores, a um novo conjunto de baterias de 60 kWh, que será complementado com um de acesso de 40 kWh.

O Nissan Leaf foi apresentado em 2010, e é o elétrico mais vendido do mundo com mais de 277 mil unidades vendidas. Falta pouco mais de um mês para conhecermos o seu sucessor,que será apresentado a 6 de setembro.

 

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos