Apresentação

Honda Civic recebe motor Diesel, mas só chega em março

A décima geração do Honda Civic prepara-se para crescer com a introdução da versão Diesel. Mas só em 2018 e já de acordo com o ciclo WLTP.

O novo Honda Civic Type R tem captado praticamente todas as atenções, para o “mundo real” a chegada de uma motorização Diesel será definitivamente mais relevante.

Os motores a Diesel têm sido o “saco de porrada” favorito de quase toda a gente nos últimos meses, mas até à entrada das 95 g/km de CO2 médias em 2021, serão ainda a melhor opção tecnológica, na Europa, para um construtor conseguir cumprir os seus objectivos de redução de emissões.

A Honda irá equipar o Civic com o já conhecido 1.6 i-DTEC, mas o propulsor foi revisto de uma ponta à outra, refere a marca. Será um dos primeiros motores a ser testado oficialmente para cumprir os novos ciclos de homologação de consumos e emissões – o WLTP e o RDE -. que serão introduzidos já em setembro.

Honda Civic i-DTEC motor

Entre as revisões, o 1.6 i-DTEC recebeu novos pistões em liga de aço cromo-molibdénio de alta resistência e os cilindros receberam um novo acabamento polido que permitiu reduzir a fricção no seu interior. A cambota foi redesenhada e o bloco em alumínio ganhou um novo canal de refrigeração, o que permitiu também reduzir o peso do conjunto. Ruídos e vibrações intrínsecos aos motores Diesel também foram atenuados, graças a reforços no bloco aumentando a sua rigidez estrutural.

O sistema de escape e de tratamento dos gases também foi revisto, com o Civic a vir com um novo sistema de armazenamento e conversão dos NOx denominado NSC (NOx Storage Converter). O sistema é constituído por catalisadores de maiores dimensões, fabricados com materiais nobres – prata, platina e neodímio -, que armazenam os óxidos de nitrogénio até ao ciclo de regeneração.

Existe também um novo sensor de gases que determina de forma precisa quando é necessário um ciclo de regeneração. Este sistema permite, segundo a Honda, um prolongamento da vida útil e durabilidade dos componentes de escape.

O resultado são emissões de 99 g/km (WLTP) e consumos a começar a partir dos 3.7 l/100 km. Os valores de potência e binário do 1.6 i-DTEC não se alteram relativamente ao predecessor: debita 120 cv às 4000 rpm e 300 Nm às 2000 rpm. Tais valores garantem uma aceleração de 10,4 segundos dos 0-100 km/h.

Além do motor Diesel, a gama Civic também receberá em meados do próximo ano uma nova transmissão automática de nove velocidades. Será a primeira a equipar um modelo com duas rodas motrizes da marca na Europa.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub