Superdesportivo elétrico

Dos 0 aos 160 km/h em 3,8 segundos: vem aí um super Ariel… elétrico

O pequeno construtor britânico Ariel prepara-se para alcançar um novo patamar de performance. Como? Com uma «supermáquina» elétrica de elevadas performances.

Conhecida pelos seus esqueléticos modelos Atom e Nomad, a Ariel trilha um novo caminho ao ter anunciado o desenvolvimento de um superdesportivo de altas performances. Não que falte “pulmão” ao Atom, com adjectivos como insano a serem habitualmente associados à descrição das suas performances.

Mas o HIPERCAR – nome do projecto, não do modelo, acrónimo de High Performance Carbon Reduction -, é uma criatura totalmente distinta. Trata-se de uma estreia tecnológica por parte do pequeno construtor: o HIPERCAR será o primeiro Atom 100% elétrico. Não só é movido a eletrões como apresentará um original extensor de autonomia – uma micro turbina de 48 cv de potência alimentada a gasolina.

O HIPERCAR terá duas versões, de duas e quatro rodas motrizes, com esta última a ter um motor elétrico por roda. Cada um dos motores debita 220 kW (299 cv) e 450 Nm de binário. Multiplicando por quatro, dá um total de 1196 cv e 1800 Nm de binário e sendo elétrico, logo disponíveis a partir de uma rotação por minuto! O de duas rodas motrizes, previsivelmente, terá metade da potência e binário – 598 cv e 900 Nm.

Estamos a fazer o carro aspiracional do amanhã usando a nossa agilidade de empresa pequena, antecipando-nos às grandes. Adoramos os Ariel que fazemos agora, mas sabemos que temos de adoptar as novas tecnologias. Se não, dentro de 20 anos estamos a fazer antiguidades e até podemos deixar de existir devido a futura legislação.

Simon Saunders, CEO da Ariel

Como é que estes números “de doidos” se traduzem em aceleração?

Segundo os dados da Ariel, o HIPERCAR deverá ser uma das máquinas com melhor aceleração no planeta, batendo inclusivamente colossos como o Bugatti Chiron. Os 0 aos 100 km/h são cumpridos em apenas 2,4 segundos, até aos 160 apenas 3,8 e os 240 km/h são alcançados em míseros 7,8 segundos. Bem, parece rápido ao ponto de se tornar fisicamente desconfortável.

A velocidade máxima será limitada aos 257 km/h, bastante inferior à generalidade dos super e hiperdesportivos, mas nenhum deverá chegar a esse valor tão rapidamente.

Ariel HIPERCAR

O Ariel mais pesado de sempre

Claro que, sendo elétrico, a autonomia entra na equação. O HIPERCAR virá com dois conjuntos de baterias distintos – um para o modelo de tração traseira e outro para o de tração integral -, com capacidades de 42 kWh e 56 kWh respetivamente. Serão suficientes para permitir entre 160 a 190 km de autonomia, a ritmos animados, antes da micro turbina entrar em acção.

Como podemos observar nas imagens divulgadas, o Ariel HIPERCAR apresenta dimensões compactas, com apenas dois lugares, e a contrário dos outros Ariel, tem o que parece ser uma carroçaria e até traz portas – em asa de gaivota. Estruturalmente o alumínio será o principal material usado (monocoque, sub-estruturas e chassis) mas carroçaria deverá recorrer à fibra de carbono. As rodas são em materiais compósitos e forjadas com as medidas de 265/35 20 à frente e 325/30 21atrás.

Estima-se que o HIPERCAR pese à volta de 1600 kg, um contraste violento para os mais simples Atom e Nomad que pesam menos de metade.

A união faz a força

Este projecto é o resultado de uma parceria a três com a duração de três anos e suportado pelo Innovate UK, um programa estatal britânico que garantiu fundos na ordem das duas milhões de libras. As três empresas envolvidas são a própria Ariel, que desenvolveu carroçaria, chassis e suspensão; a Delta Motorsport que desenvolveu a bateria, a micro turbina que serve de extensor de autonomia e parte eletrónica; e a Equipmake que desenvolveu os motores elétricos, caixas de velocidade e eletrónica associada.

O HIPERCAR será conhecido ao vivo e a cores pela primeira vez nas duas versões já a 6 e 7 de setembro no Low Carbon Vehicle Show em Millbrook. A versão final do projecto surgirá em 2019 com produção prevista para começar em 2020.

O preço só será decidido mais tarde no decorrer do projecto. Vai ser um carro caro devido à tecnologia envolvida, mas quando comparado com os super carros de mais de um milhão de libras que superará em performance vai representar excelente valor pelo custo. Este será o primeiro e verdadeiro super carro elétrico que atravessará continentes, será conduzido em cidade e poderá dar voltas a um circuito.

Simon Saunders, CEO da Ariel
Ariel HIPERCAR

Mais artigos em Notícias