Antevisão

Sucessor do Bugatti Chiron vai ser híbrido

Se a performance do Bugatti Chiron já deixou meio mundo de boca aberta, o seu sucessor será ainda melhor, de acordo com o CEO Wolfgang Dürheimer.

Durante o desenvolvimento do atual Chiron, a Bugatti colocou seriamente a hipótese de apostar na eletrificação. Na sua versão mais potente, o 16.4 Super Sport, o Veyron debitava 1200 cv de potência, um valor difícil de superar e que levou a Bugatti a equacionar a eletrificação como forma de superar esse número.

Contudo, o sucesso no desenvolvimento do Chiron ditou que o desportivo não precisaria da ajuda de um motor elétrico. As atualizações feitas ao colossal motor 8.0 W16 com quatro turbos foram suficientes para extrair ainda mais potência e binário: 1500 cv e 1600 Nm, para ser mais exato.

RELACIONADO: Test driver do Bugatti Chiron contratado pela Mazzanti Automobili

Uma década depois, a história repete-se, desta vez com uma certeza: a Bugatti vai mesmo recorrer à eletrificação para o sucessor do Chiron. Em declarações à Autocar, o CEO da marca Wolfgang Dürheimer deu a entender que o atual motor de 16 cilindros já chegou ao seu limite em termos de potência máxima.

Bugatti Chiron

A eletrificação vai acontecer. O novo carro ainda está longe de estar desenvolvido, mas pela forma como a tecnologia de baterias e motores elétricos tem vindo a evoluir, bem como os regulamentos, parece certo que o próximo carro será eletrificado de alguma forma. Acho que ainda será muito cedo para um modelo 100% elétrico, mas a eletrificação vai mesmo acontecer.

Wolfgang Dürheimer, CEO da Bugatti

Olhando para o resto da indústria, e para a própria estratégia de eletrificação do Grupo Volkswagen, que detém a Bugatti, estas declarações estão longe de ser surpreendentes. Resta saber de que forma é que a marca vai «casar» os motores elétricos com o motor de combustão. Será o sucessor do Chiron uma espécie de quarto elemento da «santíssima trindade»?

Um Bugatti de quatro portas?

O Bugatti Chiron foi apresentado no Salão de Genebra de 2016, e por isso o seu sucessor não é mais que um plano de intenções. De acordo com Wolfgang Dürheimer, a produção do hiper-GT vai durar oito anos, o que empurra a data de apresentação do novo modelo para 2024. Modelo esse que poderá até nem ser o sucessor do Chiron. Confuso?

Bugatti Galibier

Desde 2009, aquando da apresentação do Bugatti 16C Galibier Concept (em cima), que a marca francesa tem em agenda a produção de uma berlina de quatro portas. Um dos projetos de estimação de Dürheimer, que ficou em «águas de bacalhau» após a sua saída da Bugatti. Regressaria à liderança da marca em 2015, numa altura em que o Chiron já se encontrava em desenvolvimento.

Agora o projeto ganha força novamente, apesar de haver outros a serem discutidos para avançar. Sabe mais sobre o novo Bugatti de quatro portas aqui.

Caso se confirme que a super-berlina é para avançar, o sucessor do Chiron poderá só ser lançado apenas oito anos depois, no longínquo ano de 2032…

Sabes responder a esta?
O Bugatti Chiron demora quanto tempo até atingir os 200 km/h?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Os números que definem o Bugatti Chiron
Em cheio!!
Vai para a próxima pergunta

ou lê o artigo sobre este tema:

Os números que definem o Bugatti Chiron

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos