Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Glórias do Passado

Glórias do Passado. Opel Astra GSi 2.0 16v

O Opel Astra GSi foi um dos responsáveis por colocar definitivamente a Opel no mapa dos desportivos compactos, ou dos "hot hatch", como dizem os britânicos.

Já nos debruçámos anteriormente sobre alguns dos desportivos que, por um motivo ou por outro, preencheram o nosso imaginário na década de 90 — aqueles maravilhosos anos 90… E o Opel Astra GSi 2.0 16v é precisamente um deles.

Recuando até 1991, seria difícil antecipar o sucesso que o Opel Astra viria a ter — e que se estende até aos dias de hoje. Sucessor do também muito bem sucedido Opel Kadett, o Astra tinha a difícil tarefa de dar continuidade ao legado do pequeno familiar que percorreu boa parte da história da «marca do relâmpago».

E a marca alemã não fez por menos: o Opel Astra, que adotava o nome dado ao Kadett pela Vauxhall, estava disponível nas versões de três e cinco portas, carrinha, berlina e na variante cabriolet, esta última desenhada e construída pela Bertone em Itália.

VEJAM TAMBÉM: Lembras-te deste? Opel Tigra, o “coupé do povo”
Opel Astra GSI

Um irrequieto motor 2.0 litros atmosférico multiválvulas

Mas foi a versão GSi 2.0 16v que captou a atenção dos petrolhead, o que não admira nada…

Por fora, aquilo que distinguia o GSi dos seus congéneres de gama eram os parachoques mais desportivos e na cor da carroçaria, a grelha diferenciada, as peculiares saídas de ar no capô e o spoiler traseiro de maiores dimensões.

Opel Astra GSI

E claro, as inscrições GSi. As maiores diferenças estavam no interior — e não estamos a falar do habitáculo…

Debaixo do capô morava um bloco 2.0 litros de quatro cilindros em linha con 16 válvulas, desenvolvido em parceria com a Cosworth (que desenvolveria em específico a cabeça do motor). Um motor com provas dadas no Kadett GSi, lançado três anos antes e um dos primeiros motores multiválvulas na Opel a equipar um modelo de grande volume.

Opel Astra GSI

Os números oficiais indicavam 150 cv de potência às 6000 rpm e 196 Nm às 4800 rpm, força que era transmitida apenas ao eixo dianteiro através de uma caixa manual de cinco velocidades — não parece muito hoje em dia, mas final da década de 80 e início da de 90 do século passado, 150 cv era uma das bitolas que separava os “miúdos” dos “graúdos”.

Não era difícil retirar mais potência do motor C20XE, sem prejuízo da fiabilidade, um dos seus pontos fortes.

Na balança, o Opel Astra GSi 2.0 16v acusava apenas 1100 kg (DIN). A relação peso-potência de 7,3 kg/cv permitia-lhe acelerar dos 0-100 km/h em apenas 8,0 segundos e atingir os 217 km/h de velocidade máxima.

Opel Astra GSI

Fim prematuro

Seria sol de pouca dura… Em 1995, entrou em vigor a norma ambiental Euro2, o que obrigou a marca alemã a equipar o Opel Astra GSi 2.0 16v com um catalisador, que baixou a potência para os 136 cv.

Por esse motivo — e também porque boa parte das unidades acabaram por ser vítimas de transformações pouco saudáveis — tentar encontrar um exemplar da primeira geração, com 150 cv, em segunda mão nos dias que correm, pode ser uma tarefa inglória.

O Opel Astra GSi 2.0 16v vai mesmo permanecer no nosso imaginário…


Sobre o “Glórias do Passado.”. É a rubrica da Razão Automóvel dedicada a modelos e versões que de alguma forma se destacaram. Gostamos de recordar as máquinas que outrora nos fizeram sonhar. Embarca connosco nesta viagem no tempo aqui na Razão Automóvel.

Mais artigos em Clássicos