Testar ao limite os 1500 cavalos do Bugatti Chiron

Parte do processo de desenvolvimento do Bugatti Chiron serve para garantir que o colosso de 1500 cv não se desintegra quando explorado na sua totalidade.

Nürburgring não serve só para quebrar recordes. É também uma impiedosa pista de testes, levando ao limite mecânicas e chassis. No passado, vimos protótipos camuflados a sucumbirem ao traçado alemão, seja com um motor partido, seja por sobreaquecimento, incendiando-se.

Portanto, não existe melhor local para verificar se o motor recebe a devida lubrificação quando submetido a forças laterais expressivas, ou se o sistema de refrigeração é eficaz na manutenção das temperaturas em valores razoáveis. Mesmo quando se trata do motor W16 de 8.0 litros, quatro turbos e 1500 cavalos do Bugatti Chiron.

RELACIONADO: É assim que sobe o ponteiro do Bugatti Chiron

Só que em vez de o colocar num carro e de o testar diretamente em pista, criando uma série de custos e questões logísticas, a Bugatti começa pelo ambiente mais controlado de uma sala de testes. O W16 de 8.0 litros do Chiron é testado exaustivamente num simulador físico. O motor é colocado numa estrutura que o move em múltiplas direções e atua diretamente no seu funcionamento.

E claro está, simula-se uma volta aos 20,81 km do famoso traçado alemão, sabendo que tal exercício o levará aos limites.

Como bónus, também ficámos a conhecer semelhante aparato aplicado aos testes da suspensão do Chiron.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias