Citroën C-Aircross antecipa sucessor com tiques de SUV para o C3 Picasso

O concept C-Aircross é mais um sinal dos tempos. Este SUV compacto, como a Citroën o define, antecipa o sucessor do C3 Picasso. O segmento dos MPV compactos ruma rapidamente ao estatuto de espécie em vias de extinção, substituído por novos SUV compactos ou crossovers.

O Citroën C-Aircross é um concept próximo do que deverá ser o modelo de produção, e adota a mesma linguagem visual estreada pelo C4 Cactus e evoluída pelo novo C3 entre outros concepts. Esta linguagem, ao contrário das tendências prevalentes, não aposta na agressividade, prescindindo de arestas, vincos ou grelhas capazes de sugar pequenos animais. Para tal, recorre a transições suaves entre superfícies, com curvas de raio generoso, e os elementos que integram a carroçaria são definidos por cantos arredondados.

O aspecto agressivo expectável pode não estar lá, mas o C-Aircross assume formas SUV graças a uma zona inferior de aspeto mais robusto, revestida com um padrão que faz lembrar uma camuflagem, de tons negros, contornando toda a carroçaria. As rodas generosas, de 18 polegadas, e distância ao solo acrescida reforçam a ligação ao mundo SUV.

2017 Citroen C-Aircross concept traseira

Tal como no novo C3, o uso do contraste cromático é fundamental para a aparência mais jovial e até divertida que caracteriza esta linguagem. Podemos observar no C-Aircross pequenos apontamentos a laranja forte – ou Fluorescent Coral como a Citroën lhe chama – no contorno das óticas frontais ou no pilar C, que integra uma grelha composta por lâminas, com efeito aerodinâmico.

Aerodinâmica e SUV não costumam ser compatíveis, mas a Citroën esforçou-se no sentido de tornar o C-Aircross o mais fluído possível, com cuidado especial colocado no desenho das superfícies, com a presença de elementos como entradas de ar na frente e com correspondente saída na lateral, integrada nos Airbumps e a presença de um difusor traseiro.

2017 Citroen C-Aircross concept com portas abertas

As dimensões do C-Aircross (4.15 m de comprimento, 1.74 m de largura, 1.63 m de altura) colocam-no definitivamente no segmento B, não diferindo muito das do C3 Picasso.

RELACIONADO: Citroën C3 1.2 PureTech Shine: fresco e urbano

O C-Aircross não apresenta pilar B, com as portas traseiras a serem do tipo suicida. Uma característica que deverá permanecer exclusiva deste concept e que permite aceder a um interior cheio de cor e luz, apresentando o teto panorâmico e quatro lugares individuais. Os bancos, aparentemente suspensos, têm aspeto substancial, estilo sofá, referência da Citroën. Destaque ainda para os altifalantes nos encostos de cabeça e locais de arrumação em painéis específicos nas costas e laterais dos mesmos.

O painel de instrumentos vê-se resumido a um “head-up vision board”, ou seja, um pequeno ecrã situado diretamente na linha de visão do condutor. Um outro ecrã tátil de 12 polegadas situa-se sobre a consola central, que permite controlar maior parte das funções.

2017 Citroen C-Aircross concept interior

O C-Aircross, apesar do aspecto SUV, continua a ter tração apenas às duas, mas vem equipado com o sistema eletrónico Grip Control, que otimiza a tração nos mais diversos cenários.

O Salão de Genebra, em março, servirá de palco de estreia para o C-Aircross concept.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Os mais vistos