Passados 9 anos, Toyota Hilux volta a chumbar no «teste do alce»

Tal como aconteceu em 2007 com a anterior geração, a Toyota Hilux não foi capaz de realizar com sucesso um dos mais importantes testes de segurança ativa: o “teste do alce”.

A mais recente geração do Toyota Hilux foi apresentada em 2015, e apesar do novo chassis de longarinas que reforça as características de robustez e fiabilidade – como pudemos comprovar há uns meses em Tróia – o popular “teste do alce” continua a ser o calcanhar de Aquiles da pick-up nipónica, isto de acordo com a publicação sueca Teknikens Varld.

Para quem não conhece, o “teste do alce” – moose test – não é mais do que uma manobra evasiva com o intuito de monitorizar o comportamento do veículo ao desviar-se de um obstáculo, a uma velocidade a rondar os 60 km/h. No que toca às pick-ups, o exercício é normalmente efetuado com a carga máxima anunciada pela marca, e com 1 002 kg de capacidade, a Toyota Hilux apresenta o valor mais alto entre todos os modelos testados pela publicação sueca. Neste caso, o teste foi feito com apenas 830 kg de carga, incluindo o condutor e passageiros, mas ainda assim a pick-up não foi capaz de superar o desafio:

VEJAM TAMBÉM: Audi propõe A4 2.0 TDI 150cv por 295€/mês

A resposta da marca não se fez esperar. Bengt Dalström, diretor geral da Toyota Sweden AB, garante que a nova Hilux é um veículo seguro, isto tendo em consideração a panóplia de testes efetuados pela marca durante a fase de desenvolvimento. Contudo, Dalström mostrou abertura para discutir os resultados publicados pela revista sueca:

“Estamos surpreendidos pelo resultado do teste, e tomamos esta avaliação de forma séria, tal como o fazemos com os nossos testes no desenvolvimento de veículos da Toyota. São vários os parâmetros técnicos que podem ter influência no resultado destas manobras, e por isso queremos entender melhor quais os parâmetros exatos neste teste”.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos