Novo Renault Grand Scénic revelado: mais dinâmico e versátil

Depois do Renault Scénic, apresentado em Genebra, foi a vez da marca francesa desvendar a versão de maiores dimensões, o Renault Grand Scénic.

Não sobrou quase nada do anterior Renault Grand Scénic. Nova plataforma, novo design, novos interiores e reforço das tecnologias a bordo são algumas das novidades desta nova geração. Devido ao aumento das proporções, o modelo francês está ligeiramente mais robusto e com uma maior distância entre eixos.

Renault Grand Scenic (8)

RELACIONADO: É oficial: este é o novo Renault Koleos

Segundo a marca, os princípios que nortearam o desenvolvimento do interior foram: conforto, equipamento e versatilidade. Os bancos dianteiros dispõem de uma estrutura semelhante à do Renault Espace, com uma regulação elétrica com oito modos e função de massagem e aquecimento nas versões topo de gama.

O banco do passageiro dianteiro pode inclusivamente ser rebatido para a posição mesa, disponibilizando assim uma superfície útil de 2,85 metros. A segunda fila de bancos é deslizante e rebatível de forma independente, enquanto que a terceira fila beneficia de bancos escamoteáveis.

Na consola central o monovolume dispõe de um espaço de arrumação com capacidade de 13 litros. O espaço de arrumação da face dianteira (iluminada) é fechado por um painel deslizante com apoio de braço integrado. Já a face traseira está dotada de duas tomadas USB, uma tomada jack, uma tomada 12 volts e ainda um porta-objetos destinado aos passageiros traseiros. Ao longo do habitáculo encontramos ainda vários locais de arrumação que perfazem no total 63 litros de capacidade.

Renault Grand Scenic (4)

VEJAM TAMBÉM: Renault apresenta versão «hardcore» do Clio RS

Tal como o novo Scénic, o Renault Grand Scénic está equipado de série com vários sistemas de ajuda à condução, entre os quais a Travagem Ativa de Urgência com deteção de peão, Assistente de Manutenção de Via e Alerta de deteção de fadiga. Mas o grande destaque vai mesmo para o sistema Hybrid Assist, cuja função é aproveitar a energia desperdiçada nas desacelerações e travagens para carregar uma bateria de 48V, energia essa que é posteriormente utilizada para auxiliar o funcionamento do motor de combustão.

Graças ao comando Multi-Sense – que permite aceder a cinco modos de condução –  é também possível personalizar a experiência de condução, modificando a resposta do pedal de acelerador e do motor, o tempo entre mudanças de velocidade (com uma caixa automática EDC), a rigidez da direção, o ambiente luminoso do habitáculo e ainda a função de massagem do banco do condutor.

Por beneficiar da mesma arquitetura modular (Common Module Family) que a versão compacta, o Renault Grand Scénic será oferecido com o mesmo leque de motorizações: cinco blocos Diesel de 1.5 e 1.6 dCi com potências entre os 95 e os 160 cv e dois motores a gasolina TCe de 115 e 130 cv. O Renault Grand Scénic chega ao mercado nacional ate ao final do ano.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter