Emissões: Volkswagen aceita comprar veículos vendidos nos EUA de volta

O acordo preliminar entre a Volkswagen e o governo norte-americano visa criar um fundo para financiar toda a operação e o investimento na promoção de soluções de mobilidade sustentável. Com esta declaração de intenções, estão dados os primeiros passos rumo a uma solução para este problema nos EUA.

São 600.000 os veículos afetados pelo software malicioso nos EUA. A própria Volkswagen já admitiu que este problema afeta 11 milhões de viaturas do grupo em todo o mundo. Relembramos que a solução hoje discutida neste tribunal californiano, apenas diz respeito a menos de 10% dos veículos afetados.

Obrigações da Volkswagen

Um dos fundos será dotado dos montantes necessários para reembolsar os clientes, bem como resolver todos os problemas ao nível das emissões nos veículos afetados. A marca de Wolfsburgo poderá comprar de volta o veículo e pagar até 4400€ ao proprietário de compensação adicional, um montante a acrescentar ao valor de mercado da viatura. Contudo, os valores definitivos ainda não foram anunciados.

Os clientes que pretendam apenas que a Volkswagen remova o software malicioso, cumprindo assim as normas legais ambientais, podem solicitá-lo. Esta ação de remoção será acompanhada por uma “compensação substancial”, cujos valores definitivos não são ainda conhecidos.

Quem adquiriu um dos veículos afetados através de programas de renting ou aluguer, pode denunciar o contrato sem qualquer encargo, será a Volkswagen a assumir os custos.

RELACIONADO: Dieselgate: Volkswagen vai assumir os prejuízos fiscais dos Estados

O tribunal afirmou ainda que a marca alemã se comprometeu a continuar a financiar e a promover o desenvolvimento de “energias verdes”.

Prazos impostos pelo tribunal americano

As linhas definitivas do acordo entre a Volkswagen e o governo norte-americano deverão ser entregues no prazo máximo de dois meses, até ao dia 21 de junho de 2016. Uma vez entregue, o tribunal marcará uma audiência preliminar, que terá lugar no dia 26 de Julho de 2016. O acordo estará disponível para consulta pública, antes de ser discutido em tribunal.

O jornal New York Times estimou que o processo de compra dos modelos afetados poderá custar cerca de 7 biliões de dólares. Para além dos custos envolvidos nesta operação, a Volkswagen poderá ainda ter de enfrentar até 18 biliões de dólares em multas.

Fonte: Road & Track

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter