Porsche 911 R: manual. atmosférico. old school.

A Porsche desvendou esta manhã o 911 R. Um modelo old school segundo a própria a marca.

O Porsche 911 R nasce com duas grandes aspirações: suceder ao primeiro 911 R (que vai celebrar 40 anos em 2017) e assumir-se como a versão mais focada no prazer de condução da gama 911. Para isso conta com vários trunfos. Nomeadamente as ligações ao solo do 911 GT3 RS (com pneus que oferecem menos grip), tração traseira e motor 4.0 litros atmosférico de 500cv às 8.250 rpm e 460 Nm de binário às 6.250 rpm. Mas há mais (ainda agora começámos…). A barreira dos 100 km/h, desde parado, é quebrada em 3,8 segundos e a velocidade máxima é de 323km/h.

Com um peso de 1.370 quilos, o 911 R é mais leve do que o 911 GT3 RS em 50 quilos. O capot e guarda-lamas são em carbono e o tejadilho em magnésio. Com estes pormenores, o centro de gravidade baixa. O vidro traseiro e os vidros laterais são em policarbonato. Outros factores que contribuem para o baixo peso são o menor isolamento interior e a ausência de bancos traseiros. O sistema de ar condicionado opcional e o rádio e respetivo sistema de som também foram vítimas de uma cura de emagrecimento.

O eixo traseiro direcional de série, foi especificamente afinado para o 911 R garantir uma elevada estabilidade, enquanto o diferencial com autoblocante mecânico oferece uma elevada tração. Para assegurar a máxima desaceleração possível está o sistema Porsche Ceramic Composite Brake (PCCB) de série. Para uma utilização sem restrições no dia-a-dia, um sistema de elevação do eixo dianteiro pode ser pedido como opção: este eixo pode, assim, ser elevado em aproximadamente 30 milímetros ao pressionar um botão.

RELACIONADO: Queres saber quais são as últimas novidades de Genebra? Clica aqui

A cereja no topo do bolo é a caixa manual – a função “ponta-tacão” pode ser activada pressionando um botão, para se obter reduções de caixa perfeitas. Ainda assim, sem dúvida mais lenta do que a «quase telepática» caixa PDK mas eventualmente mais divertida de explorar – haja mestria e coragem por parte daquele “elemento” importantíssimo localizado entre o banco e o volante. Na lista de opções do 911 R, também está disponível o volante de motor mono massa. O resultado é uma significante melhoria na resposta e na dinâmica do motor a rotações elevadas.

Falando em condutor, este não podia estar mais acomodado. Senta-se numa bacquet com a secção central a apresentar um design em Pepita tartan, evocando o primeiro 911 de 1960. Uma “especificação R” do volante GT Sport com um diâmetro de 360 milímetros está pronto a receber os comandos do piloto. Molduras decorativas em carbono no interior envolvem a placa em alumínio com o número da unidade da edição limitada do 911 R, colocada do lado do passageiro. Outra característica que é um claro revivalismo do 911 R original são as tiras em material têxtil que servem de puxadores para abrir as portas.

As encomendas do 911 R podem ser efectuadas a partir deste momento. O preço para Portugal, com impostos incluídos à data desta notícia é de 239.975 euros. Aviso à navegação: a Porsche só vai produzir 991 unidades deste modelo. Hurry up…

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Os mais vistos