Wärtsilä-Sulzer 14RT-flex96C: o motor Diesel mais potente do mundo

O Wärtsilä-Sulzer 14RT-flex96C é o maior motor Diesel do mundo. Surpreende nas dimensões, nos consumos e na potência. Porque somos amantes da técnica, vale a pena conhecê-lo melhor.

A imagem em destaque há muito que circula nas redes sociais, e provavelmente não foi a primeira vez que a viram: um motor gigante a ser transportado por um pequeno camião – sim pequeno, em comparação com aquele motor tudo é pequeno.

“os consumos cifram-se nuns simpáticos 14.000 litros/hora às 120 rpm – que é, aliás, o regime de rotação máximo”

Trata-se do Wärtsilä-Sulzer 14RT-flex96C, o maior motor Diesel do mundo, tanto em tamanho como em capacidade volumétrica. Um colosso de força fabricado no Japão, pela Diesel United, com tecnologia da empresa finlandesa Wärtsilä. Vale a pena conhecê-lo melhor, não acham?

Wärtsilä-Sulzer 14RT-flex96C camshaft

Este monstro faz parte parte da família de motores modulares RT-flex96C. Motores que podem assumir configurações entre seis e 14 cilindros – o número 14 no início do nome (14RT) indica o número de cilindros. Motores estes que são usados na indústria naval para mover os maiores navios do mundo.

Um destes motores equipa atualmente o porta-contentores Emma Mærsk – uma das maiores embarcações do mundo, medindo 397 metros de comprimento e pesando mais de 170 mil toneladas.

A NÃO PERDER: Os 10 carros mais rápidos do mundo atualmente à venda

Voltando ao Wärtsilä-Sulzer 14RT-flex96C, trata-se de um motor Diesel com ciclo a dois tempos. A sua potência é de uns impressionantes 108.878 cv de potência e os consumos cifram-se nuns simpáticos 14.000 litros/hora às 120 rpm – que é, aliás, o regime de rotação máximo.

Falando de dimensões, este motor possui 13,52m de altura, 26,53m de comprimento e pesa 2.300 toneladas – só a cambota pesa 300 toneladas (na imagem mais acima). Construir um motor destas dimensões é por si só, um efeito de engenharia notável:

Apesar das dimensões, uma das preocupações da equipa de engenharia do Wärtsilä-Sulzer 14RT-flex96C foi a eficiência do motor e o controlo das emissões. A força gerada pelo motor é aproveitada não só para mover as hélices, mas também para gerar energia eléctrica (entregue a motores auxiliares) e também usada para alimentar os restantes componentes do navio. O vapor gerado pela refrigeração das câmaras de combustão também é aproveitado, servindo para gerar energia eléctrica.

PARA RECORDAR: All Time Stars: Mercedes-Benz volta a vender modelos clássicos

Atualmente, existem cerca de mais de 300 exemplares do Wärtsilä-Sulzer 14RT-flex96C a navegar em todo o mundo. Para terminar, fiquem com um vídeo do famoso Emma Mærsk em movimento, graças a este maravilha da técnica:

https://www.youtube.com/watch?v=rG_4py-t4Zw

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Autopédia

Os mais vistos