Tijolo Voador

Volvo 240 Turbo: o tijolo que voava há 30 anos

O "tijolo voador", mais conhecido por Volvo 240 Turbo, fazia a vida negra à concorrência há 30 anos. Época em que ganhou quase tudo o havia para ganhar.

A Volvo, marca sueca fundada pelo engenheiro Gustav Larson e pelo economista Assar Gabrielsson, lançou em 1981 um dos modelos mais importantes da sua história: o Volvo 240 Turbo.

Inicialmente lançado como uma berlina familiar, o 240 Turbo estava longe de ter pretensões desportivas. Ainda assim a versão equipada com o robusto motor B21ET, 2.1 l de 155 cv cumpria os 0-100 km/h em apenas 9s e aflorava os 200 km/h de velocidade com facilidade. Na versão carrinha (ou se preferirem Estate), o Volvo 240 Turbo era simplesmente a carrinha mais rápida da época.

Para quem não tinha pretensões desportivas, nada mau…

VÊ TAMBÉM: História. Os coupés da Volvo que antecederam o Polestar 1
Volvo 240 Turbo

A marca — cujo o nome vem do latim “eu rodo”, ou por analogia “eu guio” — demonstrou ao longo da década de 80 que para além de construir os carros mais seguros e duradouros da época, também era capaz de construir os mais rápidos e até divertidos de conduzir. Dito isto, não tardou muito para que a marca começasse a olhar com outros olhos para a competição.

Evoluir para competir

Para ter um carro competitivo nas corridas de turismo e homologado para os regulamentos do Grupo A, a marca sueca concebeu o Volvo 240 Turbo Evolution. Uma versão mais espigada do 240 Turbo, equipada com um turbo de maiores dimensões, centralina melhorada, pistões, bielas e cambota forjados, e sistema de injeção de água na admissão.

Para conseguir a homologação a marca tinha de vender 5000 unidades do modelo Turbo e 500 unidades do modelo Turbo Evolution. Dito e feito.

Em 1984 o Volvo 240 Turbo ganhou duas corridas: uma corrida do ETC na Bélgica e uma corrida do DTM no Norisring na Alemanha. No ano seguinte, a Volvo aumentou o seu departamento de competição e contratou duas equipas para operarem como equipas oficiais — os resultados não se fizeram esperar…

Volvo 240 Turbo

Em 1985 ganhou o campeonato ETC (europeu) e o DTM (alemão), e ainda os campeonatos nacionais de turismo da Finlândia, Nova Zelândia e… Portugal!

Na sua versão de competição o Volvo 240 Turbo era um verdadeiro “tijolo voador”. “Tijolo” no que concerne ao design — a década de 80 ficou marcada pelos Volvo “quadrados” — e “voador” no que diz respeito à performance — sempre eram 300 cv, um valor respeitável.

Para chegar aos 300 cv de potência da versão de competição, a Volvo equipou ainda o motor do 240 Turbo com uma cabeça em alumínio, um sistema de injeção Bosch específico e um novo turbo Garrett capaz de uma pressão de 1.5 bar. Velocidade máxima? 260 km/h.

Além das alterações efetuadas no motor, a versão de competição foi aligeirada. As partes da carroçaria amovíveis (portas, etc.) usavam metal mais fino do que nos carros de produção e o eixo traseiro era 6 kg mais leve. Os travões passaram a ser discos ventilados com maxilas de quatro êmbolos. Foi instalado também um sistema de reabastecimento rápido, capaz de colocar 120 l de combustível em apenas 20s.

Nada mau para um tijolo.

Mais artigos em Clássicos