Glórias do Passado

Mercedes SL 190: 60 anos de cabelos ao vento

Um dos ícones da indústria automóvel, o Mercedes SL 190, sopra 60 velas. Foram seis décadas de cabelos ao vento, tempo que parece não lhe passar.

O Mercedes SL 190, produzido entre 1955 e 1963, é um roadster que não deixou (nem deixa) ninguém indiferente. O concept foi apresentado em Fevereiro de 1954 no Salão de Nova Iorque e a versão de produção desvendada na 25ª edição do Salão de Genebra, em 1955. A produção arrancaria em Maio desse ano, parando ao fim de produzidos 25.881 exemplares.

O Mercedes SL 190 (W121) era uma versão mais pequena e menos potente do para sempre icónico Mercedes 300 SL (W198). Desenhado por Walter Häcker, o Mercedes 190 SL foi um dos responsáveis pela mudança de paradigma no segmento dos roadster, oferecendo uma solução confortável e segura, no fundo, um veículo para o dia-a-dia.

Mercedes SL
Mercedes SL

Para além de um estilo inconfundível, consumos moderados (8,6 l/100 km), segurança e conforto eram as suas principais bandeiras. Para além da versão regular, surgiu também uma versão lightweight vocacionada para incursões em pista. Esta variante desportiva do Mercedes 190 SL atingiu o seu expoente máximo de notoriedade em 1956 com Douglas Steane ao volante, no Grande Prémio de Macau.

O preço de tabela para o mercado americano (um dos mais importantes para o modelo, onde foi vendida quase 40% da produção) era de 3.998 dólares para a versão com soft-top e 4.295 dólares para a versão com hard-top. Debaixo do capot tinha um motor de 1.9 litros e 4 cilindros (SOHC), com 105 cv às 5700 rpm, 142 Nm, acoplado a uma caixa de 4 velocidades e capaz de uma velocidade máxima de 171 km/h. O tradicional sprint dos 0-100 km/h cumpria-se em 14.7 segundos.

A NÃO PERDER: A Mercedes Classic abriu os seus arquivos ao público

Mercedes SL
Mercedes SL

No mercado de clássicos já se encontram exemplares em estado de concurso do Mercedes SL 190 (W121) com preços a chegar aos 230 mil euros.

Mais artigos em Clássicos

Os mais vistos