Motores

Léon Levavasseur: o génio que inventou o motor V8

Inventou o motor de arquitetura V8, a injeção direta e a refrigeração por radiadores. Apesar disso, morreu pobre aos 58 anos de idade. Conheçam o génio de Léon Levavasseur.

Léon Levavasseur devia ser um nome conhecido — talvez até idolatrado…— por todos os amantes de automóveis e engenharia em geral. Levavasseur foi engenheiro, projetista e inventor. Mas acima de tudo, um génio.

Nasceu em França, no ano de 1863, para dar ao mundo uma das mais belas prendas motorizadas: a invenção do motor de arquitetura V8. Sem o binário, o trabalhar rouco e o som borbulhante dos motores V8 o mundo não seria o mesmo.

A sua carreira como engenheiro começou na empresa francesa de motores Antoinette, que Léon ajudou a fundar em 1902. Nesse mesmo ano,  Léon patenteava o primeiro motor V8 da história.

RELACIONADO: Hot V. Estes motores em V são mais “quentes” que os outros. Porquê?

Com a necessidade crescente de motores para as mais variadas finalidades, as configurações exóticas de Léon começavam a dar nas vistas no mundo da náutica. Os seus motores depressa ganharam fama por serem compactos, potentes e fiáveis. Chegou a projetar motores com 32 cilindros!

leon levavasseur v8

Ao fim de apenas dois anos, os motores de Levavasseur já equipavam inúmeros barcos de corrida, com vitórias em todas as frentes. Foi então que na fábrica Antoinette recebiam do Brasil a encomenda de um motor muito especial. O pedido vinham em nome de Santos Dumont — considerado um dos fundadores da aviação. Dumont pedia a Léon que lhe fornecesse um motor para o seu avião 14-bis.

VÊ TAMBÉM: Lun-class Ekranoplan: o monstro do Mar Cáspio

O motor escolhido e projetado foi um… V8 (óbvio, não é?) com uns impressionantes 50 cv de potência e apenas 86 kg de peso em ordem de marcha. Esta relação peso/potência revelou-se imbatível durante 25 anos. Resultado? O 14-bis tornou-se no primeiro objeto mais pesado que o ar a levantar voo sem assistência (a avioneta dos irmãos Wright necessitava de impulso) corria o ano de 1906.

leon levavasseur v8, 14-bis
14-bis

Depois de abandonar a Antoinette, Léon Levavasseur continuou a sua carreira como inventor registando patentes, ganhando prémios e inventando sistemas que ainda hoje estão presentes no quotidiano da indústria automóvel — por exemplo a refrigeração com recurso a radiador ou a injeção direta de combustível. Mais de 100 anos depois as suas ideias continuam tão válidas como no dia em que saíram da sua cabeça.  Impressionante, não é?

Ironicamente, Levavasseur, o pai de algumas das maiores invenções da engenharia moderna, viria a morrer na miséria em 1922 — tinha 58 anos de idade. Hoje, volvidos 92 anos depois da sua morte (NDR: à data da publicação original do artigo), prestamos-lhe aqui esta singela homenagem. Obrigado Léon!

Mais artigos em Clássicos