Mercedes AMG GT M178 V8 Biturbo: A nova era da potência AMG

As normas anti-poluição cada vez mais restritivas, têm colocado imensa pressão na industria automóvel. Sem recorrer à moda do “downsizing”, a tarefa de conciliar rendimento com eficiência nos modelos desportivos torna-se cada vez mais difícil, mas a AMG surge agora com a sua mais recente «coqueluche».

Com o intuito de fazer esquecer e remeter o bloco M159 de 6.2l V8, para o corredor da fama de mecânicas exóticas e de som dignos de uma orquestra, o novo bloco AMG M178 de 4.0l V8 e biturbo é a resposta da AMG para encarar o futuro. O primeiro modelo a estrear este mecânica será o «anti-911» da Mercedes: o AMG GT.

mercedes_amg_4_liter_b8_biturbo_engine1

Com estreia marcada no futuro Mercedes AMG GT, que virá substituir o Mercedes SLS AMG, o novo bloco M178 é um compêndio de tecnologia, com recurso a inúmeras inovações, tudo para que o rendimento se case na perfeição com a eficiência.

Mas se dúvidas houver acerca das suas reais credenciais, o bloco M178, explica com a sua ficha técnica o porquê de ser uma mecânica de antologia da casa AMG.

VEJAM TAMBÉM: A técnica de Ayrton Senna aos comandos de um Honda NSX

Com uma arquitetura V8 e fiel às premissas da AMG, o bloco M178 dispõe de 3982cc e com um diâmetroxcurso dos pistões de 83mm x 92mm, o que faz deste bloco, um conjunto mecânico compacto.

Fruto da sobrealimentação com 2 turbocompressores gémeos desenvolvidos pela Borg Warner e que estão localizados na secção acima do coletor de admissão, permitiram à AMG, tornar as dimensões do bloco mais contidas, fornecendo de forma mais rápida o ar comprimido às camaras de combustão.

mercedes-amg-gt-5-

Com uma potência de 510 cavalos às 6250rpm, o bloco AMG tem folego até às 7200rpm, incrível para um bloco biturbo e com uma taxa de compressão de 10,5:1. O binário avassalador deste 4.0l V8 é de 650Nm, logo às 1750rpm e constante até às 4750rpm. Com valores de potência específica de 128cv/l e um binário especifico de 163,2Nm/l, o bloco M178 pesa apenas 209kg.

Parte da receita técnica neste bloco da AMG – sendo que é um dos primeiros motores com potência acima dos 500cv a cumprir a normas EUR6 – passou por dotar o bloco com a já dominada técnica “Nanoslide”, que permite reduzir a fricção, podendo utilizar pistões mais leves, com segmentos de menor fricção, com vantagens claras no consumo de combustível e óleo.

Outra das novidades é o revestimento a zircónio da cabeça do motor, o que permitiu à AMG elevar a tolerância e capacidade de dissipação térmicas do bloco M178. O centro de gravidade do bloco V8 foi reduzido com o recurso à lubrificação por cárter seco, reduzindo assim a altura em 55mm.

No que toca à injeção de gasolina, a mesma é feita de forma directa e já conta com os mais recentes injectores Piezo, capazes de até 7 injeções por ciclo e uma pressão de injeção de 130bar. A pressão de sobrealimentação nominal é de 1,2bar, mas os turbos gémeos da Borg Warner são capazes de gerar 2,3bar de pressão na sua máxima rotação.

Fiquem com o vídeo promocional da nova coqueluche da AMG, para o Mercedes AMG GT.

Mais artigos em Notícias