BMW Alpina B7 Biturbo: Melhorar o que já era bom, é possível!

Conciliar luxo, com alta performance, nunca foi tarefa fácil, mas para algumas casas, o nome que construíram no mercado foi precisamente por conseguirem conjugar na perfeição esses 2 fatores.

O BMW Alpina B7 Biturbo, já não é uma novidade entre nós pois já se encontra em comercialização desde 2009, mas tem vindo a sofrer diversos melhoramentos, mas as melhorias introduzidas este ano, essas sim são uma novidade.

Por isso mesmo, hoje trazemos-vos o melhorado e rejuvenescido BMW Alpina B7 Biturbo, uma berlina com base no BMW serie 7, mas com predicados de luxo, requinte e acima de tudo performance, que deixam muitos desportivos ruídos de inveja.

2013-BMW-Alpina-B7-Biturbo-Static-5-1280x800

As qualidades e virtudes, deste BMW Alpina B7 Biturbo, são tantas que nos deixam, confusos por onde é que devemos começar, talvez por descrever uma máquina que consegue reunir o melhor de dois mundos numa só proposta.

Comecemos pela secção mais emotiva, este BMW Alpina B7, surpreende-nos pelo seu bastidor técnico, que alberga o bloco V8 de 4.4 litros. A potência surge de forma de descomplicada e traduz-se nuns maravilhosos 540 cavalos distribuídos entre as 5200rpm e as 6250rpm, o binário também ele sumptuoso, cifra-se em 730Nm das 2800rpm às 5000rpm. O motor V8 foi especialmente retrabalhado para fornecer tamanha potência em faixas de regimes tão alargadas, para as quais contribuíram os 2 turbos, 1 por bancada, com a secção da turbina maior que o compressor.

2013-BMW-Alpina-B7-Biturbo-Engine-1-1280x800

Providenciar o ar mais fresco possível ao V8 de 4.4 litros e arrefece-lo da forma mais eficiente, também não foi um problema, pois o BMW Alpina B7, conta com intercoolers refrigerados a água de tubagens mais curtas e com um massivo radiador de alta capacidade. Para ritmos mais acelerados a temperatura que o óleo pode atingir, também não será um problema pois o B7 Biturbo também está equipado com um radiador para o óleo.

Para garantir os padrões de fiabilidade BMW, sem comprometer toda a desportividade do BWM Alpina B7 Biturbo, o bloco V8, também conta com pistões de alta performance da MAHLE, concebidos especificamente para suportar a temperatura e pressão, associada a 1.2 bar de pressão nos turbos que sobrealimentam a já alta taxa de compressão do V8, que é de 10.0:1. Tudo para obter valores espantosos como a potência especifica de 123cv/l e uma compressão total de 20,1 bar.

2013-BMW-Alpina-B7-Biturbo-Details-Taillights-1280x800

Para por toda esta potência no chão da forma mais eficiente o BMW Alpina B7 Biturbo, já está equipado com a caixa automática de 8 velocidades, cortesia da ZF, que por sua vez é comum à restante gama da BMW.

Desenganem-se aqueles que acham, que por ser um modelo Alpina, que o conceito Efficient Dynamics, que a BMW, tanto defende foi esquecido, pois não foi, apesar dos valores de performance, este BMW consegue consumos verdadeiramente surpreendentes. Claro está que milagres não existem e para consumos de 9,9l/100km de média ponderada, muito contribuíram a caixa automática de 8 velocidades, assim como a injeção direta, a distribuição variável VALVETRONIC e o sistema inteligente de start/stop.

Chegada a parte, que realmente nos vai dizer de que fibra é feito este BMW Alpina B7 Biturbo, convém antes de tudo frisar que o B7 Biturbo, pode vir opcionalmente com o sistema de tração integral XDrive.

2013-BMW-Alpina-B7-Biturbo-Interior-Dashboard-1280x800

Tendo isto presente vamos então dar-vos a conhecer a performance deste monstro de luxo, dos 0 aos 100km/h podem contar com 4,6s e uma velocidade máxima de 312km/h, mas se preferirem a versão com o sistema XDrive, o clássico arranque faz-se em 4,5s e a velocidade máxima fica-se por uns muito respeitáveis 310km/h.

Mas, e o que dizer da dinâmica de um modelo com proporções que fazem dele um autentico iate sobre rodas. Não se preocupem, a suspensão inteligente, totalmente controlada electronicamente, concilia da melhor forma rigidez com conforto, de qualquer maneira este B7 Biturbo está rebaixado 7mm na frente e 5mm atrás.

As jantes Alpina Classic, são de 21 polegadas e fazem-se acompanhar de pneus Michelin com a medida 245/35ZR21 para o eixo da frente e 285/30ZR21 para o eixo traseiro. Segundo a Alpina por uma questão de conforto, para o B7 Biturbo, optaram-se por pneus de flanco reforçado, em vez dos com tecnologia Run-Flat.

2013-BMW-Alpina-B7-Biturbo-Static-3-1280x800

A nível exterior este BMW Alpina B7 Biturbo conta com um conjunto de spoilers retrabalhados, que permitiram diminuir o efeito lift a alta velocidade na frente em 30% e na traseira em 15%.

As duplas ponteiras traseiras também foram especialmente escolhidas para integrarem da melhor forma a zona inferior do para-choques traseiro.

No interior a experiencia, é no mínimo algo de outro mundo, a atenção ao detalhe é por demais evidente, com iluminação inferior nas portas em azul e couro Lavalina por todo o lado.

2013-BMW-Alpina-B7-Biturbo-Details-Tailpipes-1280x800

Mas deliciem-se com a madeira da consola e revestimentos interiores, nada mais, nada menos do que madeira exótica de Murtas, que apenas crescem na costa oeste dos EUA. Opcionalmente também se pode substituir a madeira por aplicações lacre cor piano black, com inserções em prata. De resto temos os tradicionais emblemas identificativos da Alpina.

2013-BMW-Alpina-B7-Biturbo-Interior-4-1024x768

Uma proposta que não se roga por ser barata, mas que nos remonta para padrões de exclusividade e performance, como só uma casa como a Alpina, nos habituou durante décadas, com o magnifico casamento com a BMW. Este BMW Alpina B7 Biturbo, pode não ser tão potente como outras propostas de outros fabricantes germânicos, mas não deixa de ter um lugar especial quando nos referimos a berlinas de luxo, com altas performances.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos