Volkswagen Polo Blue GT um desportivo sem «purpurinas»

Para aqueles que querem um utilitário desportivo mas dispensam o design cheio de apontamentos extravagantes, o Volkswagen Polo Blue GT 1.4 TSI é uma opção a ter em conta. Tem tudo, excepto as purpurinas e os brilhantes.

Na página 10 do manual Como Fazer um Utilitário Desportivo – para o efeito, vamos fingir que este manual existe mesmo… – podemos ler ipsis verbis que as marcas que queiram construir um modelo do segmento B com ambições desportivas têm de o fazer “vistoso e aguerrido”. Não estamos a inventar está mesmo lá escrito algures na página 10, senão vejam.

No entanto a Volkswagen quis ser diferente. Quis ser a excepção à tal regra do “vistoso e aguerrido”. E para o efeito, lançou o Volkswagen Polo BlueGT 1.4 TSI, um compacto desportivo visualmente diferente dos seus congéneres. Igualmente desportivo mas mais discreto e com um grau de racionalidade económica superior graças à adopção de tecnologias que visam a diminuição do consumo e das emissões poluentes. Será que foram bem sucedidos? Foi isso que durante uma semana fomos tentar descobrir.

Um visual discreto mas com «músculo»

Volkswagen Polo Blue GT 2

As cores aguerridas, os enormes apêndices aerodinâmicos e mais um sem fim de detalhes que fazem os utilitários desportivos deste segmento gritar em plenos pulmões “por favor olhem para mim!” não têm lugar neste Polo Blue GT 1.4 TSI. O visual é bastante discreto, só um olhar mais atento vai conseguir distinguir este Polo das versões mais comuns.

Mas a discrição é só aparente. Um olhar mais atento irá descobrir as devidas diferenças, desde as linhas mais musculadas do para-choques, as vistosas jantes de 17 polegadas ou os travões mais generosos que equipam os dois eixos do Polo Blue GT 1.4 TSI. Já no interior a Volkswagen deixou-se levar um pouco mais pelo espírito «racing». Os banco surgem com apontamentos da cor da carroçaria, desportivos q.b. portanto…

Diz a marca alemã que este Volkswagen Polo Blue GT 1.4 TSI é o carro ideal para que pretende um bom desportivo sem ter de prescindir de um visual discreto. Já sabemos que no campo visual o «caderno de encargos» foi cumprido. Resta saber se a parte do “bom desportivo» também se cumpre.

Um bom desportivo

Volkswagen Polo Blue GT 12

Uma primeira viagem em torno da carroçaria do Polo Blue GT não é suficiente para entusiasmar. O design como dissemos é bastante discreto quando comparado com os seus congéneres do segmento, mas a verdade é que os ingredientes estão todos lá e para alguns tanta discrição pode mesmo ser uma virtude. Deixamos essa avaliação à consideração de cada um.

Chegava então a hora de passar à ação e trocar as sensações visuais pelas sensações físicas. Rodámos a chave e na resposta ao movimento da nossa mão, o motor 1.4 TSI de 140cv despertou sem dramas sonoros ou vibrações. Até aqui, tudo sereno. Engrenámos a primeira velocidade e apontámos a competente direção do Polo para a primeira estrada digna desse nome. Foi aí que o discreto Polo Blue GT começou a revelar-se um bom companheiro de brincadeiras. Imaginem um atleta olímpico de smoking, é mais ou menos essa a postura do Polo Blue GT 1.4 TSI. Como dizem os ingleses, classy but sporty. Parecia tão sério e tão maduro mas afinal o que ele gosta mesmo é de curvas. Otímo, nós também.

Volkswagen Polo Blue GT 3

O motor revela uma entrega de potência bastante linear, cheia em todos os regimes, condição que ajuda a explicar que os 100km/h se cumpram em apenas 7,9 segundos. A subida do ponteiro é tão decidida que só termina para lá dos 200km/h.

Mas apesar dos 140cv de potência, até no campo da motorização a racionalidade da Volkswagen volta a marcar presença por intermédio do sistema cylinder-on-demand. Um sistema que desliga dois dos quatro cilindros do motor 1.4 TSI com o intuito de poupar combustível. Podem conhecer melhor este sistema neste artigo da nossa Autopédia.

Ainda assim, este motor revelou-se tendencialmente guloso. É relativamente fácil ultrapassar a fasquia dos 7l por cada 100km. No entanto não nos podemos esquecer da quantidade de «cavalos vapor» que habitam debaixo do capôt.

Quanto ao chassi, é bastante competente. Os índices de aderência e a capacidade conservar velocidade em curva surpreendem. Cheguei a ser displicente na entrada de algumas curvas e ainda assim o Volkswagen Polo Blue GT reagiu sempre sem dramas. Notável! Não é nenhum concentrado de adrenalina em estado puro mas chega e sobra para nos colocar um sorriso no rosto, sair do carro e dizer-lhe “obrigado, até amanhã”. É um bom parceiro.

Desportivo com veia utilitária, ou utilitário com veia desportiva?

Volkswagen Polo Blue GT 16

A capacidade do Polo Blue GT ser um bom desportivo e em simultâneo preservar quase intactas as qualidades reconhecidas à restante gama Polo, confunde-nos. O compromisso foi tão bem conseguido que nem sabemos bem se Polo Blue GT é um desportivo utilitário ou um utilitário desportivo. Enfim, detalhes…

No interior destaca-se o rigor da montagem e a qualidade dos materiais empregues. Em alguns detalhes, uns furos acima da concorrência directa, ainda que o design interior tal como o exterior não entusiasme por aí além. Mas não compromete. O espaço a bordo é convincente e a suspensão cumpre bem o seu propósito. Consegue quase sempre garantir respostas muito francas, mesmo quando confrontadas com as «crateras» que proliferam nas cidades e estradas do nosso belo país.

Conclusão

Volkswagen Polo Blue GT 4

Potente, competente, relativamente poupado e bastante discreto. Em breves palavras, esta é a melhor forma que encontrei para descrever o  Polo Blue GT. Um utilitário que repete as qualidades da restante gama Polo e que lhe adiciona um comportamento dinâmico superior e um músculo mecânico bem mais entusiasmante. Vale a pena? Pensamos que sim. Este Blue GT é a prova de que os desportivos não têm de ser todos iguais e que às vezes menos «purpurinas» até podem ser uma boa aposta. Este Polo acaba o nosso teste com o título de «desportivo mais racional» que passou pela nossa redacção.

MOTOR 4 Cilindros
CILINDRADA 1395 cc
TRANSMISSÃO Manual, 6 Vel.
TRAÇÃO Dianteira
PESO 1212 kg.
POTÊNCIA 140 CV / 4500 rpm
BINÁRIO 250 NM / 1500 rpm
0-100 KM/H 7,9 seg.
VEL. MÁXIMA 210 km/h
CONSUMO 4,5 lt./ 100 km
PREÇO 22.214€

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Testes

Os mais vistos