ACP : 88 crianças perderam a vida nas estradas nacionais nos últimos cinco anos

Dados do ACP revelam uma realidade que muitos condutores teimam em ignorar: a sinistralidade infantil.

Entre 2007 e 2011, 88 menores de 14 anos morreram e mais de 16 mil ficaram feridos vítimas de acidentes de viação, metade dos quais em percurso curtos ou dentro de localidades, revelam dados do Automóvel Clube de Portugal (ACP) divulgados hoje.

As estatísticas mostram que a evolução da sinistralidade tem revelado “um consistente decréscimo” nos últimos cincos anos, com o número total de vítimas a descer 21,1% e o de mortos a cair para menos de metade. Motivo justificado em parte, pela diminuição do tráfego automóvel e incremento da segurança ativa e passiva do parque automóvel nacional.

Ainda assim os números são chocantes. Em 2011, 2936 crianças ainda sofreram lesões corporais em acidentes de viação, “o que mostra que ainda há um enorme trabalho pela frente”, sublinha o ACP em comunicado.

Estes dados do ACP servem de apoio a um inquérito nacional realizado pelo Automóvel Clube de Portugal, em colaboração com a Prevenção Rodoviária Portuguesa e a Cybex, que será divulgado em pleno esta segunda-feira e teve como objetivo estudar os comportamentos dos automobilistas no transporte de crianças.

Na sequência deste estudo será lançada a campanha “A segurança responsável”, com o objetivo de sensibilizar os portugueses para o uso de um sistema de retenção de crianças seguro e eficiente na proteção dos mais pequenos, refere o ACP.

Texto: Guilherme Ferreira da Costa

Mais artigos em Notícias