Toyota-BMW: unidas na construção de desportivo e sistema de baterias

É oficial: dos amores entre a construtora bávara e o gigante japonês, nascerá um desportivo Toyota-BMW.

Depois da relação amorosa com a Subaru, da qual resultou o nosso bem conhecido GT-86 a Toyota apaixona-se novamente – desta vez pela alemã BMW, e fica a promessa oficial de desenvolver em conjunto um desportivo e aprofundar o desenvolvimento de novos sistemas baterias, através da troca de know-how entre os dois colossos da construção e desenvolvimento automóvel. Depois de uma relação com a Subaru da qual resultou o “primário” e espetacular GT-86, agora a Toyota pretende passar para um nível de tecnologias de ponta, numa relação Toyota-Bmw, assente na evolução tecnológica e eficiência energética, no fundo, a procura por um parceiro mais amigo do ambiente.

Esta união Toyota-Bmw já opera no desenvolvimento de motores diesel, mas Akio Toyota, o patrão da Toyota, em conferência de imprensa conjunta na cidade de Nagoya, garantiu que ambas vão “trabalhar no duro para alcançar um objetivo comum de fabricar carros cada vez melhores”. Esta parceria, estende-se também ao domínio dos materiais leves e ao seu desenvolvimento. A BMW está a investir tudo para se manter no topo, recordamos a parceria assinada com a Boeing, para a troca de conhecimentos ao nível da produção e desenvolvimento de fibra de carbono.

Pressegespräch BMW Group und Toyota Motor Corporation, Press Meeting BMW Group and Toyota Motor Corporation

Estudo para desportivo Toyota-BMW concluído já em 2013

Ambas as marcas começarão a desenvolver já o estudo de desenvolvimento do novo desportivo, que deve terminar no final deste ano. O foco está principalmente apontado à fibra de carbono e outros materiais, que devem também ser aplicados aos modelos das marcas. Esta partilha de conhecimento promete ser um verdadeiro motor de desenvolvimento da indústria, dado que ambas são marcas líderes na construção automóvel e sinónimo de qualidade junto dos clientes.

Os projetos em conjunto Toyota-Bmw estendem-se ainda ao desenvolvimento de avançados depósitos de hidrogénio, além de baterias de combustível – sendo objetivo principal até 2020, construir e desenvolver todos os componentes que permitam a um veículo circular com este mecanismo de propulsão. Agora resta saber se quando sair o desportivo veremos uma repetição de uma “novela” recente – será um desportivo BMW com ajuda da Toyota ou um desportivo Toyota com ajuda da BMW?…

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Mais artigos em Notícias