BMW – plataforma UKL produzirá 12 modelos de tração dianteira até 2022

Depois de anunciar o lançamento do seu primeiro carro de tração dianteira, o Série 1 GT, a BMW confirma um verdadeiro romper da tradição e avança para a produção de 12 modelos BMW e Mini nesta plataforma unterklasse.

Viragem sem medo de perder fãs
“Nos anos 90 rompemos com a tradição quando começamos a vender SUVs ao lado dos nossos sedans. Os clientes perceberam que conseguiam obter a dinâmica de um BMW através de um SUV. Vamos ver a mesma transição com os veículos de tração dianteira”, diz o responsável pelos produtos de tração dianteira da marca de Munique.

A BMW acredita que o desenvolvimento desta nova plataforma de tração dianteira, a aplicar a modelos mais pequenos do segmento premium e aos Mini vai catapultar as vendas da marca para um nível nunca antes atingido. A construtora alemã afirma que conseguirá produzir melhores tração dianteira que todos os seus rivais e que será líder no mercado – “estamos a entrar em novos segmentos e a captar novos clientes a quem conseguimos provar que é possível conduzir muito bem um veículo de tração dianteira” – diz Klaus Draeger, responsável pelo departamento de pesquisa e desenvolvimento da marca.

É uma viragem que representa um romper das tradições e com isso o que muitos dizem ser uma verdadeira traição aos princípios – um rejeitar da paixão dos fãs e assumir que muitos BMW do futuro podem apenas andar de lado se puxarmos o travão de mão…desculpem, com o travão elétrico afinal nem isso será possível. Confrontada com esta questão a BMW desvaloriza e acredita que a acusação dos fãs de que este será um passo demasiado arriscado, se assemelha ao já vivido em relação aos SUV.

Um segmento que crescerá como cogumelos
O segmento de compactos premium está na moda e Ian Robertson, chefe de marketing e vendas da BMW e chairman da Rolls-Royce, acredita que o crescimento do segmento nos Estados Unidos e na China pode levar ao sucesso desta aposta num mercado que, tal como os outros, acredita estar receptivo a estes modelos aos quais se pretende aplicar a tração dianteira.

A marca não desmente e podemos mesmo vir a assistir ao lançamento de mais 3 modelos de tração dianteira, incluindo o próximo X1 que poderá já ser um dos sacrificados – para além de tração dianteira, espera-se que o X1 deixe de estar disponível com motores de 6 cilindros, tudo isto para poupar espaço.

Os responsáveis da construtora alemã dizem que esta medida vai melhorar carros como o Série 1, que vão ganhar mais espaço para as pernas de quem se senta nos seus bancos traseiros, bem como a existência de um “verdadeiro” quinto lugar

Texto: Diogo Teixeira

Mais artigos em Notícias