Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Jaguar E-Type “O mais belo automóvel de todos” – Enzo Ferrari

Nascido nas terras de sua majestade e nomeado por enumeras vezes como o automóvel mais belo do mundo, o Jaguar E-Type é ícone da engenharia e uma autêntica peça de arte sobre rodas.

Este clássico marcou toda uma geração, não só na sua época como no presente, o Jaguar E-Type é um belo desportivo britânico produzido pela Jaguar Cars Ltd entre 1961 e 1974.

É um veículo que partilha com o mundo o que de mais belo existe no universo automóvel, o seu belíssimo design, brilhante engenharia e altas performances. Um automóvel tão belo que até o Sr. Enzo Ferrari o apontou com o mais bonito de todos. E tudo isto a um preço altamente competitivo para a indústria automóvel para os anos 60, comparativamente com o preço de um Ferrari ou Maserati.

Enquanto o E-Type custava, na altura do seu lançamento, uns modestos 4 mil euros, os Ferrari custavam o dobro, 8 mil euros. O que equivale nos dias de hoje a 150 mil euros para o Jaguar e 300 mil euros para o Ferrari. Mas o Jaguar mesmo sendo mais barato conseguia ser muito mais rápido. Equipado com um motor 3.8 litros de 6 cilindros em linha, atingia uma velocidade máxima de 240 km/h. Uma verdadeira dor de cabeça para as marcas rivais.

Durante a sua produção foram vendidas 70 mil unidades. Foi desenvolvido com instrumentos pouco precisos, e testado em autoestradas durante a madrugada, devido à inexistência de pistas de teste. Assim sendo a autoestrada era o único sítio onde podiam retirar o devido proveito e fazê-lo atingir a sua velocidade máxima.

A suspensão traseira, por exemplo, foi desenvolvida através de uma aposta, aposta esta que o presidente da Jaguar fez com o Engenheiro Chefe: Deu-lhe apenas um mês para conseguir desenvolver por completo a tal suspensão traseira, mesmo acreditando que isso não seria possível. O que é certo, é que num mês concebeu a suspensão, uma suspensão tão boa que foi utilizada durante os 25 anos que seguiram.

Foi apresentado pela primeira vez ao público no Salão de Genebra, em Março 1961. Mas ninguém acreditava no seu sucesso, nem o próprio presidente da marca. No entanto, subestimaram esta máquina cedo demais… O Jaguar E-Type foi um êxito instantâneo, e cobiçado pelo Jet 7: Princesa Grace do Mónaco, Frank Sinatra, George Best, entre outros, foram todos proprietários de um magnífico E-Type. E passados precisamente 51 anos a Jaguar inspirou-se no E-Type para criar o novo desportivo da marca, o Jaguar F-Type.

Mas não serviu só de inspiração para o F-type, uma empresa decidiu redesenhar o E-Type, e dar vida ao Eagle Speedster. A máquina uma vez esculpida por um visionário torna-se agora mais robusta e com linhas menos vincadas. Tudo nele é novo, jantes, pneus, travões, o interior e até o motor. O Eagle Speedster tem em seu poder um motor 4.7 litros de 6 cilindros em linha, acoplado a uma caixa manual de 5 velocidades, tornando-o capaz de atingir os 260 km/h.

A sua razão peso-potência consegue ser melhor que a de um Porsche 911 Turbo, devido à sua carroçaria totalmente em alumínio. Tudo isto faz com que o Eagle Speedster seja lançado dos 0 aos 100 km/h em menos de 5 segundos. E como se não bastasse ainda tem uma sonoridade superior a qualquer outro super carro. Tem um ronco mais forte que um trovão, um ronco capaz de abrir nascentes, derrubar árvores e até rebentar com tímpanos.

Esta beleza custa 700 mil euros. É o preço de conduzir o automóvel mais belo à face da terra, um autêntico privilégio.

Mais artigos em Clássicos