Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Ford apresenta novo membro da família EcoBoost

A Ford acaba de anunciar as especificações do seu novo motor pensado para as gamas mais baixas da marca: o novíssimo bloco de 3 cilindros e 1.0 litros, com uma potência compreendida entre os 99cv e os 123cv, que equipará o novo Focus o actual Fiesta e futuro B-Max.

Um motor que não é apenas isso, é muito mais. É um marco na história do construtor na medida em que representa todo o know-how” acumulado pela Ford em todos estes anos de produção e desenvolvimento de motores a gasolina, principalmente deste lado do atlântico.

Todo o bloco em si é uma inovação, algumas delas novidade absoluta na gama da marca norte-americana. A cabeça do motor por exemplo – fabricada com recurso às avançadas técnicas de fundição e maquinação – é integralmente feita em alumínio e agrega em si os colectores de escape. Alias, é na cabeça do motor que encontramos a maior parte das inovações deste motor. A árvore de cames por exemplo, é de comando variável e independente, o que permite adequar a fluxo de gases – tanto do escape como da admissão – à rotação do motor, de acordo com as necessidades especificas de cada regime.

 

O bloco como já dissemos, recorre a uma arquitectura de 3 cilindros, solução que apresenta alguns inconvenientes comparativamente com as mecânicas mais tradicionais de 4 cilindros, nomeadamente no que concerne às vibrações geradas.

A Ford teve esse factor em consideração e desenvolveu um volante-motor inovador – elemento que tem por função ajudar a vencer os pontos mortos do movimento dos êmbolos – que ajudará a manter a linearidade do motor e reduzir as vibrações do seu funcionamento sem comprometer a capacidade de aceleração.

 

Mas nestas coisas da engenharia, como sabemos não há milagre que contorne a física ou a química. E para conseguir os mesmos número de potência numa unidade de 1000cc que se consegue numa de 1800cc, a Ford teve de recorrer ao  estado de arte dos actuais motores a gasolina: a turbo compressão e a injecção directa. Dois dos elementos que mais contribuem para a efectiva transformação do combustível em energia e consequentemente, em movimento.

 

Não, não é a Merkel…

Falando de números, o resultado de tanta inovação é expressivo. A anunciar dois níveis de potência para esta motorização: uma com 99cv e outra com 125cv. O binário poderá chegar aos 200Nm com função Overboost. Quanto a consumos a marca aponta para cerca de 5litros por cada 100km percorridos e cerca de 114g de CO2 por cada km percorrido. Valores que podem variar conforme o modelo em que o motor for empregue, mas as estimativas são estas.

Ainda não há data marcada para o lançamento desta motorização, mas fala-se que a sua estreia poderá coincidir com o lançamento do modelo B-Max em 2012. É desta que o Fiesta se livra do velhinho bloco 1.25? Espero que sim…

Mais artigos em Notícias