Acabaram os segredos. É assim que a Volvo está a preparar o futuro
Loading...
Skip to Content

Numa economia altamente concorrencial, todas as empresas tentam encontrar uma vantagem competitiva. Esta poderia ser uma «verdade universal» na indústria automóvel não fosse a Volvo ter «quebrado» as regras do jogo.

A marca sueca está a preparar o futuro «sem segredos». Do cinto de segurança que já salvou mais de «um milhão de vidas», a todas as vidas que ainda faltam salvar.

Iniciativa E.V.A. Partilhar todo o conhecimento

Há quem defenda que a informação é o «ouro do séc. XXI», o recurso mais importante numa sociedade cada vez mais digitalizada. É precisamente este o recurso que a Volvo decidiu partilhar com toda a indústria automóvel, sem segredos: 

Através da iniciativa E.V.A. a Volvo está a partilhar com a indústria automóvel mais de 40 anos de pesquisa em segurança ativa e passiva. As marcas concorrentes poderão consultar relatórios e dados de segurança resultantes da pesquisa e investigação da empresa sueca através de um diretório central digital onde está centralizada toda a informação.

Com esta medida, a Volvo quer acelerar e democratizar o acesso a veículos seguros — principalmente nos mercados emergentes, onde os acidentes rodoviários continuam a ser uma das principais causas de morte.

Fábricas e automóveis sustentáveis. Até 2040 a Volvo será uma empresa neutra em carbono.

Um dos estudos mais interessantes diz respeito à diferença entre homens e mulheres em caso de acidente, onde as diferenças a nível anatómico e muscular são substanciais, o que significa que o risco de lesões cervicais graves não é igual.

Temos informação de dezenas de milhares de acidentes rodoviários recolhidos em ambiente real, que nos tem ajudado a melhorar os nossos automóveis tornando-os o mais seguros possível. Isto significa que estes são fabricados para proteger todas as pessoas, independentemente do seu género, altura ou peso, muito para além do “homem padrão” representado pelos crash test dummies tradicionais.

Lotta Jakobsson, Senior Technical Specialist, Volvo Cars Safety Centre
C40 Recharge. Aqui podemos visualizar a estrutura de segurança do mais recente 100% elétrico da Volvo.

Não há segredos

Para a Volvo, a convicção de dar prioridade ao desenvolvimento da sociedade é um dos pilares fundamentais da sua atividade. Uma posicionamento antigo, que está inscrito no ADN da marca sueca.

Recuando a 1959, a Volvo fez algo em que poucos acreditavam: abriu a patente da sua tecnologia mais revolucionária, o cinto de segurança de três pontos. Uma invenção que é vista por muitos como a mais importante inovação da história da segurança automóvel.

Qualidade e sustentabilidade. Dois dos pressupostos usados pela Volvo na escolha dos materiais.

Já não são apenas os automóveis, pois não?

Hoje temos a convicção que a nossa atividade tem um impacto por vezes maior que a nossa percepção. A Volvo está ciente disso, e por isso já não está centrada apenas nos automóveis, mas em toda a sua cadeia de valor.

Estamos a assistir a uma «revolução industrial» que vai mudar para sempre a face da indústria. O derradeiro teste de segurança:

A indústria automóvel não está a responder à mesma velocidade. A Volvo Cars foi um dos poucos construtores que assinou na Conferência do Clima COP26, a Declaração de Glasgow para as Zero Emissões dos automóveis e veículos pesados.

Até 2030 todos os modelos Volvo serão 100% elétricos

A Volvo Cars pretende ainda acelerar a redução da pegada de carbono de todas as suas operações — o objetivo é atingir um impacto climático neutro em 2040 — anunciando a introdução de um sistema interno de preços de carbono. Porque a eletrificação é apenas a ponta do iceberg, há muito mais por fazer.


História

Sustentabilidade. Mais do que uma missão, uma tradição.

Em 1972, a marca sueca assinou a sua primeira declaração ambiental. O CEO em funções, Pehr G. Gyllenhammar, reconheceu que os automóveis tinham um impacto ambiental negativo e que teriam de trabalhar para o diminuir. Quatro anos depois a Volvo apresentou uma invenção revolucionária, que reduziu as emissões nocivas em até 90%: a sonda Lambda.

A linha de modelos Recharge

Automóveis 100% elétricos e híbridos plug-in