Este "restomod" do Mercedes-Benz 190E Evolution II precisa de acontecer

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Restomod digital

Este “restomod” do Mercedes-Benz 190E Evolution II precisa de acontecer

Não passa de uma criação digital, mas a atenção ao detalhe deste restomod do Mercedes-Benz 190E Evolution II, agora EVO III, é soberba.

O Mercedes-Benz 190E 2.5-16 Evolution II foi a derradeira interpretação e também a mais radical do 190, criada de propósito para dominar o DTM (campeonato alemão de turismos), feito que atingiria em 1992.

Como especial de homologação, foi apenas produzido em pouco mais que o número mínimo de unidades estipuladas pelos regulamentos, 500. Não admira que hoje, devido à sua raridade, estejam a trocar de mãos por pequenas fortunas, como um exemplar «português», que foi vendido por pouco mais de 400 mil euros.

Tendo em consideração a vaga restomod que parece ter tomado conta de tantos preparadores e abastados aficionados, o artista conceptual Khyzyl Saleem, a convite da Hagerty, fez a sua própria interpretação de um restomod do 190E 2.5-16 Evolution II.

VEJAM TAMBÉM: Ainda sonham com o Mercedes-Benz 190? O redesign possível

Resultado… assombroso

Inspirado por criações como o Lancia Delta Futurista da Automobili Amos, Khyzyl decidiu evidenciou ainda mais a imagem musculada do Evo II, alargando-o e aumentando ainda mais o aparato aerodinâmico.

O objetivo do seu criador foi o de manter as linhas do modelo original, mas modernizá-lo onde fosse possível. É o que podemos ver nas reinterpretações que fez tanto da dianteira como da traseira, onde este EVO III recebeu grupos óticos de aspeto muito mais futurista, mas também a respeitar, na medida do possível, os elementos do original.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Khyzyl Saleem (@the_kyza)

Talvez o aspeto mais controverso foi o de, tal como vimos no Lancia Delta Futurista, ter transformado o 190E Evolution II num coupé, eliminando as portas traseiras. Característica que poderia ter sido visualmente reforçada, caso tivesse eliminado a divisória na janela traseira.

As jantes envolvidas por largos pneus são também um «piscar de olho» ao passado, reinterpretando as que equipavam o carro de corridas que acabou por dominar no DTM.

Está visto que este 190E EVO III foi desenhado a pensar mais nos circuitos — do interior só vemos um par de bacquets e uma roll cage.

Poderia não servir para o DTM dos nossos dias — que pouco ou nada tem a ver com o DTM onde correu o 190E 2.5-16 Evolution II —, mas não é difícil de imaginar esta criação a fazer uma rampa qualquer em modo «faca nos dentes».

Será que algum preparador poderia pegar neste modelo digital e trazê-lo para a nossa realidade física? Não seria inédito.

No vídeo acima podem assistir à criação deste impressionante modelo e no vídeo abaixo, conheçam em mais detalhe o Mercedes-Benz 190 da Razão Automóvel, um pouco mais… modesto que este EVO III:

 

Mais artigos em Notícias