Tuning

Máquina infernal. Hennessey levou o McLaren 765LT aos 1014 cv

O McLaren 765LT é um dos superdesportivos mais rápidos que o dinheiro pode comprar. Mas a Hennessey quis levá-lo ainda mais longe.

Quando foi apresentado, o McLaren 765LT fez questão de não passar despercebido, prometendo ultrapassar a fasquia — bem alta, por sinal — estabelecida pelo McLaren 720S. Dito e feito.

O mais recente elemento da linhagem Longtail da marca britânica combina na perfeição o mundo da competição com o das estradas públicas, conseguindo registos que obliteram quase toda a sua concorrência: acelera dos 0 aos 100 km/h em 2,8s, chega aos 200 km/h em 7s e atinge os 330 km/h de velocidade máxima.

Mas porque há sempre quem queira mais, a Hennessey, conhecida preparadora estabelecida no Texas, nos Estados Unidos, resolveu dar-lhe ainda mais potência, até porque John Hennessey, o fundador e diretor da empresa, acredita que “o novo 765LT é subestimado de fábrica”.

VÊ TAMBÉM: O Sabre é o mais potente McLaren de sempre puramente a combustão
Hennessey McLaren 765LT
A preparadora norte-americana deixou o McLaren 765 LT ainda mais agressivo.

O resultado é um McLaren 765LT ainda mais impressionante, capaz de produzir 1014 cv de potência e de cumprir o exercício de aceleração dos 0 aos 96 km/h (equivalente a 60 milhas por hora) em apenas 2,1s. Quanto à velocidade máxima, e apesar da Hennessey não o revelar de forma oficial, estima-se que este 765LT seja agora capaz de atingir os 346 km/h.

Testámo-lo nas nossas instalações e ele estava a debitar 775 cv de potência nas rodas traseiras. Isto quer dizer que na verdade estava a produzir perto de 877 cv de fábrica. Evoluir o 765LT para os 1014 cv fará com que a aceleração das 0 às 60 mph [96 km/h] desça para os 2,1s, o que é de loucos.

John Hennessey, fundador e diretor da Hennessey
Hennessey McLaren 765LT
A Hennessey equipou o McLaren 765LT com um sistema de escape com tubagens em aço inoxidável.

Para garantir este aumento de potência a equipa da Hennessey Performance instalou novos filtros de ar, um sistema de escape em aço inoxidável e uma reprogramação da unidade eletrónica de controlo do motor, que continua a ser o bloco V8 biturbo de 4.0 l de capacidade que equipa este modelo de fábrica.

Visual não sofreu alterações

A assinatura da Hennessey também se faz sentir na imagem, ainda que de forma muito subtil. No exterior há um emblema da empresa norte-americana e dentro do habitáculo há uma placa numerada que atesta a exclusividade do modelo.

Hennessey McLaren 765LT
Placa numerada no interior não deixa esquecer que este é um 765LT bem especial.

Deixámos o pior para o fim, o preço. É que a Hennessey cobra aproximadamente 21 000 euros pela instalação deste pacote de modificações, isto já para não falar dos mais de 300 000 euros que a McLaren pediu a cada um dos 765 felizardos que conseguiram garantir este superdesportivo.

Sabe responder a esta?
Qual a velocidade de ponta do McLaren Artura?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

680 cv e 30 km em modo elétrico. O McLaren Artura é o início de uma nova era

Mais artigos em Notícias