Impostos

Vais comprar ou importar carro em 2021? Sabe quanto vais pagar de IUC

O Imposto Único de Circulação ou IUC é uma obrigação para (quase) todos os proprietários de automóveis. Neste artigo explicamos-te tudo sobre ele.

Nascido em 2007, mais precisamente a 1 de julho de 2007, o Imposto Único de Circulação (IUC) substituiu, de uma só vez, três outros impostos: Imposto Municipal sobre Veículos (o famoso “Selo”), o Imposto de Circulação e o Imposto de Camionagem.

O seu objetivo é muito simples: funcionar como uma compensação não só pelo desgaste causado nas infraestruturas pela circulação dos veículos, como pelo seu custo ambiental e incide diretamente sobre a propriedade do veículo, só deixando de ser pago aquando do cancelamento da matrícula.

Obrigatório para uma série de veículos — desde automóveis a motociclos, passando por embarcações de recreio e até aeronaves de uso particular — no que aos carros diz respeito, apenas os 100% elétricos escapam (para já) ao famoso IUC. Tudo porque entre as componentes para o cálculo do IUC estão a cilindrada e as emissões, componentes ausentes dos automóveis elétricos.

VÊ TAMBÉM: Portagens: como saberes a que classe o teu carro pertence
Renault Megane Plug-in Hybrid © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

As categorias do IUC

No total existem sete categorias (de A a G), sendo que, no caso dos automóveis ligeiros só nos interessam as duas primeiras, ou seja, as categorias A e B.

A categoria A aplica-se a automóveis ligeiros matriculados pela primeira vez em Portugal, num país da União Europeia ou do Espaço Económico Europeu entre 1981 e a data da entrada em vigor do IUC, ou seja, até 30 de junho de 2007 (inclusive).

Já a categoria B alberga todos os automóveis ligeiros cuja data da primeira matrícula, em Portugal ou num Estado-Membro da União Europeia ou do Espaço Económico Europeu, seja posterior à da entrada em vigor do IUC, ou seja, todos os carros matriculados a partir de 1 de julho de 2007 (inclusive).

VÊ TAMBÉM: Multas da EMEL podem tirar pontos da carta? Nestas situações sim
Postos de carregamento Nissan
Os automóveis elétricos estão, para já, isentos de IUC.

Como é calculado?

O IUC é calculado com base nas taxas de imposto publicadas anualmente no Orçamento do Estado, sendo que estas variam consoante a categoria do veículo.

Para os carros inseridos na categoria A, o cálculo é feito com base nestes fatores: o tipo de combustível, a cilindrada e o ano da matrícula, por escalões. Já para os automóveis que integrem a categoria B, a fórmula de cálculo já engloba o tipo de combustível, o ano da matrícula, a cilindrada e as emissões de CO2, por escalões.

VÊ TAMBÉM: Posso conduzir um carro registado no nome de outra pessoa?

Vamos às contas

Para calcular o valor do IUC é preciso consultar as taxas relativas à categoria, verificar quais se aplicam, e, no caso de um carro da categoria B, identificar os escalões de cilindrada e CO2. Nesta tabela damos-te a conhecer as taxas que se aplicam aos automóveis da categoria B:

Escalão de Cilindrada
(cm3)
Taxas Escalão CO2 NEDC Escalão CO2 (g/km)
WLTP
Taxa
Até 1250 29,39 € Até 120 g/km Até 140 g/km 60,28 €
Mais de 1250 até 1750 58,97 € Mais de 140 até 180 g/km Mais de 120 até 205 g/km 90,33 €
Mais de 1750 até 2500 117,82 € Mais de 180 até 250 g/km Mais de 205 até 260 g/km 196,18 €
Mais de 2500 403,23 € Mais de 250 g/km Mais de 260 g/km 336,07 €

Caso o automóvel tenha motor Diesel, há ainda mais uma taxa. Introduzida em 2014, esta varia consoante a cilindrada do veículo.

Cilindrada (cm3) Taxa adicional
Até 1250  5,02 €
Mais de 1250 até 1750 10,07 €
Mais de 1750 até 2500 20,12 €
Mais de 2500 68,85 €

Já para os carros matriculados após 1 de janeiro de 2017 há ainda uma outra taxa adicional, esta referente às emissões de CO2.

Escalão CO2 (g/km)
NEDC
Escalão CO2 (g/km)
WLTP
Taxas
(euros)
Mais de 180 até 250 Mais de 205 até 260 29,39
Mais de 250 Mais de 260 58,97

Por fim, nesta tabela damos-te a conhecer o coeficiente correspondente à data da primeira matrícula:

Ano de aquisição Coeficiente
2007 1
2008 1,05
2009 1,1
2010 e seguintes 1,15

Depois… é fazer as contas. Tem de se somar a taxa relativa ao escalão da cilindrada com a do escalão das emissões (mais a taxa adicional para veículos com mais de 180 g/km e data de matrícula após 1 de janeiro de 2017, caso se aplique); multiplicar pelo coeficiente do ano de aquisição; e somar o valor obtido à taxa adicional (motores Diesel) caso se aplique.

Se tudo isto te parece complicado, há uma solução um pouco mais simples. Como seria de esperar nos dias de hoje, existe um simulador online que calcula de forma imediata quanto tens de pagar: impostosobreveiculos.info.

Quando se paga e o que acontece se não se pagar?

Por norma, o IUC tem de ser pago até ao fim do mês de aniversário da matrícula que consta no documento único automóvel (o DUA). A exceção é quando se paga o IUC pela primeira vez após se comprar um carro novo ou um usado importado. Neste caso, tens 30 dias após o prazo exigido para o registo para pagar o IUC.

VÊ TAMBÉM: A minha nova matrícula está legal? Descobre aqui

O que acontece se não pagar?

Quando o proprietário de um automóvel falha o pagamento do IUC a consequência é a apreensão ou imobilização do carro, assim como dos respetivos documentos de circulação. Esta situação mantém-se até que o imposto, as coimas resultantes da falta de pagamento e as despesas com a remoção e armazenamento do carro sejam todas pagas.

Há isenções?

De uma forma muito simples: sim, há. O código do IUC isenta de pagamento os táxis, os automóveis clássicos e os carros dos bombeiros. Caso o proprietário do automóvel tenha um grau de incapacidade igual ou superior a 60% também está isento do pagamento do imposto e há ainda uma isenção do pagamento sempre que o valor a cobrar é inferior a 10 euros.

Fontes: impostosobreveiculos.info; E-Konomista.

Sabe responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo a recorrer a um motor Diesel de injeção direta?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Fiat. A marca que «inventou» os motores Diesel modernos

Mais artigos em Autopédia