Venda

Não é só “fogo de vista”. A Peugeot 806 Procar foi um verdadeiro carro de competição

A Peugeot 806 Procar não se ficou apenas pelas aparências e chegou a competir, tendo sido a estrela das 24 Horas de Spa-Francorchamps em 1995.

Inofensivo por fora, um “diabo” dos circuitos por dentro, é como podemos classificar este Peugeot 806 Procar. O mais invulgar participante das 24 Horas de Spa-Francorchamps de 1995? Sem dúvida.

Foi a estrela — como não podia deixar de ser — da edição da prova de resistência desse ano (faz 25 anos este ano), destacando-se, e de que maneira, entre os pequenos utilitários e esguios sedãs que constituíam a maioria dos participantes.

Mas afinal como é que este MPV, o primeiro da Peugeot (resultado de uma parceria entre o Grupo Fiat de então e o Groupe PSA), acabou a competir em tão prestigiada prova?

TENS DE VER: Do Peugeot 205T16 ao 3008 DKR. A história (quase) completa

Temos de recuar até à primeira metade da década de 90, quando os MPV começaram a invadir de forma séria as tabelas de vendas. Apesar do crescente sucesso comercial, sempre tiveram um problema de imagem que perdurou até hoje — eram vistos apenas como embalagens utilitárias e familiares e pouco mais. Como torná-los mais excitantes? Cruzá-los com genes de carros de competição: foi em 1994 que surgiu a estratosférica Renault Espace F1, por exemplo.

Nasce a Peugeot 806 Procar

Talvez inspirado por essa fantástica excentricidade e não só — 1994 foi o ano em que vimos a Volvo 850 Wagon correr no super-competitivo BTCC —, Pascal Witmeur, piloto no campeonato Procar belga e diretor de publicidade da Peugeot na Bélgica, decidiu usar a ainda nova Peugeot 806 (lançada em 1994) em competição, de acordo com as especificações Procar da altura.

E assim nasce a Peugeot 806 Procar… ou quase. Primeiro teria de tornar este inofensivo MPV numa máquina devoradora de circuitos. A receita é digna do melhor monstro de Frankenstein. Nesta “revirada” 806 encontramos componentes retirados dos 306 Maxi e dos 406 Supertourisme, o seu mais importante dador.

Do 406 Supertourisme proveio o motor e a transmissão. Ou seja, o quatro cilindros em linha com 2,0 l de capacidade, naturalmente aspirado, de 280 cv; e a caixa sequencial de seis velocidades. Depois de despojada das amenidades típicas dos MPV da altura, e estar no seu lugar instalado uma generosa roll cage, a Peugeot 806 Procar estava pronta para os circuitos.

Construída em 1995 pela Kronos Racing, ficou pronta mesmo a tempo de participar nas 24 Horas de Spa-Francorchamps desse mesmo ano. Aos seus comandos estavam três pilotos: Eric Bachelart, Philippe Verelleny e o próprio Pascal Witmeur que teve a tresloucada ideia para o projeto.

Foram, obviamente, o centro das atenções. Mais atenção receberam quando colocaram este MPV na sexta fila na grelha de partida (12º lugar)! A Peugeot 806 Procar tinha ritmo para se imiscuir entre os sedãs — BMW 318, Opel Vectra, Honda Accord, entre outros… — que dominavam as provas de turismo na altura.

Porém, provas de resistência são madrastas — nós bem o podemos dizer —, para mais numa prova de 24 horas, e a Peugeot 806 Procar não resistiu, tendo abandonado durante a noite com problemas de motor. Mesmo assim, um feito digno de monta e a estrela incontestável da prova, como Pascal Witmeur chegou a comentar:

“Cada vez que passávamos pelo Raidillon, as pessoas aplaudiam… O público gostava dela, não só por ser atípica, como por ficar frequentemente em duas rodas.”

Está à venda

A Peugeot 806 Procar encontra-se agora à venda (preço sob consulta) nos belgas Gipimotor. Infelizmente não anda (nunca chegou a ser reparada após a prova), mas há planos para lhe dar um novo motor e torná-la novamente operacional. Pormenor: as portas laterais deslizantes, sinónimo da sua faceta mais prática, ainda funcionam.

VÊ TAMBÉM: É assim que a Peugeot vai comemorar os seus 210 anos

Mais artigos em Notícias