Segurança

Euro NCAP “destruiu” 55 modelos em 2019 em nome da segurança

Foi um ano cheio de atividade para a Euro NCAP em 2019, tendo sido publicados resultados para 55 automóveis. O que se constatou?

2019 foi um ano particularmente ativo para a Euro NCAP (European New Car Assessment Programme). O programa voluntário avalia a segurança dos automóveis que compramos e conduzimos, e continua a servir de referência para todos sobre o quão seguro é um determinado modelo.

A Euro NCAP reuniu uma série de dados referentes à atividade exercida em 2019, o que permitiu também reunir alguns números reveladores.

Cada avaliação envolve quatro crash-tests (testes de colisão), além de testes a subsistemas como os bancos e peões (atropelamento), instalação de sistemas de retenção de crianças (CRS) e alertas de uso do cinto de segurança.

A NÃO PERDER: Euro NCAP. Estes foram os automóveis mais seguros em 2019
Tesla Model 3
Tesla Model 3

Os testes aos sistemas ADAS (sistemas avançados de assistência à condução) têm ganho protagonismo, onde se incluem a travagem automática de emergência (AEB), assistente de velocidade e manutenção na faixa de rodagem.

55 automóveis avaliados

Foram publicadas avaliações para 55 automóveis, dos quais 49 eram novos modelos — três com avaliações duplas (com e sem pacote de segurança opcional), quatro modelos “gémeos” (mesmo carro, mas diferentes marcas) e ainda houve espaço para uma reavaliação.

Neste grupo vasto e diverso a Euro NCAP constatou:

  • 41 carros (75%) tiveram 5 estrelas;
  • 9 carros (16%) tiveram 4 estrelas;
  • 5 carros (9%) tiveram 3 estrelas e nenhum teve menos do que este valor;
  • 33% ou um terço dos modelos de teste eram ou elétricos ou híbridos plug-in refletindo as mudanças que vemos no mercado;
  • 45% eram SUV, ou seja, um total de 25 modelos;
  • o sistema mais popular de retenção de crianças foi o Britax-Roemer KidFix, recomendado por 89% dos casos;
  • o capot ativo (ajuda a mitigar os efeitos do impacto na cabeça do peão) estava presente em 10 dos carros (18%);

Assistência à condução em crescendo

Os sistemas ADAS (sistemas avançados de assistência à condução), como já referimos, foram um dos protagonistas das avaliações Euro NCAP em 2019. A sua importância continua a crescer até porque, mais importante que um veículo ser capaz de proteger os seus ocupantes em caso de colisão, talvez seja melhor evitar a colisão em primeiro lugar.

Mazda CX-30
Mazda CX-30

Dos 55 veículos avaliados, a Euro NCAP registou:

  • Travagem autónoma de emergência (AEB) era equipamento de série em 50 carros (91%) e opcional em 3 (5%);
  • Deteção de peões era de série em 47 carros (85%) e opcional em 2 (4%);
  • Deteção de ciclistas era de série em 44 carros (80%) e opcional em 7 (13%);
  • Tecnologia de suporte à manutenção na faixa de rodagem de série em todos os modelos avaliados;
  • Mas só 35 modelos traziam de série manutenção de faixa de rodagem (ELK ou Emergency Lane Keeping);
  • Todos os modelos traziam tecnologia de Assistência à Velocidade;
  • Desses, 45 modelos (82%) informavam da velocidade limite num determinado troço ao condutor;
  • E 36 modelos (65%), permitiam ao condutor limitar a velocidade do veículo de acordo.
VÊ TAMBÉM: A origem do ESP. Era uma vez um despiste…

Conclusões

As avaliações por parte do Euro NCAP são voluntárias, mas mesmo assim, puderam testar a maioria dos carros mais vendidos no mercado europeu. De todos os modelos novos vendidos em 2019, 92% têm uma classificação válida, enquanto a validação de 5% desses modelos já expirou — foram testados há seis ou mais anos —, e os restantes 3% não possuem classificação (nunca foram testados).

De acordo com a Euro NCAP, nos primeiros três trimestres de 2019, foram vendidos (novos) 10 895 514 veículos com uma classificação válida, 71% dos quais com a classificação máxima, ou seja, cinco estrelas. 18% do total tinham quatro estrelas e 9% três estrelas. Com duas estrelas ou menos, corresponderam 2% das vendas de automóveis novos nos primeiros três trimestres.

Por fim, a Euro NCAP reconhece que poderá demorar ainda muitos anos até que os benefícios das mais recentes tecnologias de segurança automóvel se tornem evidentes nas estatísticas da segurança rodoviária na Europa.

Dos 27,2 milhões de automóveis de passageiros vendidos entre janeiro de 2018 e outubro de 2019, por exemplo, à volta de metade dos carros foram classificados antes de 2016, quando muitas destas tecnologias, sobretudo as relacionadas com os sistemas de assistência à condução, estavam confinadas a menos veículos e cuja funcionalidade era mais limitada do que nos dias de hoje.

Mais artigos em Notícias