Mercado

Renault, a mais vendida em Portugal no primeiro semestre. Mas há novidades…

Com o mercado automóvel ainda a recuperar da crise, junho voltou a ser mês de crescimento, liderado, mais uma vez, pela Renault. Mas com surpresas várias.

Cumprida que está a primeira metade de 2018, o mercado automóvel português continua a recuperar das fortes perdas acumuladas durante os anos da crise. Registando ganhos, inclusivamente, face a 2017; tanto nos veículos ligeiros de passageiros, como nos comerciais.

Depois de nos primeiros seis meses do ano transato terem sido matriculadas 148 442 viaturas, a primeira metade de 2018 terminou com perto de dez mil unidades mais matriculadas —156 442. Com os ligeiros de passageiros a perfazerem 134 506 (127 186 em 2017), os ligeiros de mercadorias 19 363 (18 696) e os pesados 2573 (2533). Percentualmente falando, uma subida de 5,8%, 3,6% e 1,6%, respetivamente.

Analisando apenas os ligeiros, destaque para a manutenção da liderança do mercado por parte da Renault (foi a mais vendida em 2017) — tanto no segmento dos passageiros — 4475 unidades em junho e 19 945 no acumulado do ano —, como no das mercadorias (1043/4257). Números que representam subidas de 13,9% (junho) e 7,6% (acumulado) nos primeiros; e 25,5% e 18,4% nos segundos.

Renault Clio
Ao contrário do que possas pensar, não é só o Clio ou Mégane que fazem a liderança da Renault, em Portugal. Pois, até mesmo nos comerciais, a marca francesa recusa-se a deixar os créditos em mãos alheias…

Peugeot e Fiat (e Citroën!) também no pódio

Logo atrás do fabricante do losango, em ambos os rankings, surge outra marca francesa: a Peugeot. Que, com 2394 ligeiros de passageiros matriculados em junho (contra 2075 no período homólogo de 2017) e 13 480 nos primeiros seis meses deste ano (12 234), além de 643 comerciais em junho (630) e 3160 no acumulado (2866), cresceu mais do que, inclusivamente, a rival, em termos percentuais — graças a um aumento nos registos de 15,4% em junho e de 10,2% na primeira metade deste ano.

Quanto ao terceiro lugar, é partilhado por dois construtores: a surpreendente Fiat, que com 2195 unidades matriculadas em junho (+20,9% face ao mesmo mês de 2017) e 9171 unidades no acumulado (8135), garantiu um lugar no pódio dos ligeiros; e a Citroën, que com 615 viaturas no mês passado (526) e 3111 na primeira metade do ano (2852), está entre os três primeiros nos comerciais ligeiros.

2015 Fiat 500
Mesmo com uma oferta muito centrada no 500 e derivados, a Fiat teve um mês de junho excelente

Jeep a subir a pique

A terminar, destaque para a prestação da americana Jeep no mercado automóvel nacional, que, depois de ter vendido apenas seis ligeiros de passageiros em junho de 2017 e 32 no primeiro semestre, entra para a segunda metade de 2018 com 275 unidades matriculadas só em junho, e 844 nos primeiros seis meses — um crescimento de 4483,3% e 2537,5%, respetivamente.

Jeep Compass 2017
Com uma gama renovada… e reforçada, a Jeep foi a marca que mais cresceu — tanto em junho, como nos primeiros seis meses do ano

Já no plano oposto, a exclusiva Aston Martin, que apesar de ter conseguido matricular um carro em junho, contra 0 no período homólogo de 2017, chegou a meio do presente ano com não mais que três unidades registadas — três vezes menos que na primeira metade de 2017.

Sabes responder a esta?
Qual o comprimento exterior do Volkswagen T-Cross?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Volkswagen T-Cross. Divulgado primeiro esboço oficial

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos