Estudo

Número de veículos elétricos a circular vai triplicar já nos próximos dois anos

Um estudo levado a cabo pela Agência Internacional de Energia conclui que o número de veículos elétricos a circularem um pouco por todo o mundo, deverá triplicar, só nos próximos dois anos.

Segundo este estudo, divulgado já esta quarta-feira pelo organismo sediado em Paris, França, a quantidade de veículos elétricos a circular deverá passar, em apenas 24 meses, dos atuais 3,7 milhões de unidades, para as 13 milhões de viaturas.

De acordo com os números agora divulgados pela Agência Internacional de Energia (AIE), instituição que tem por missão aconselhar as nações mais industrializadas na sua política de Energia, o crescimento nas vendas deste tipo de veículos zero emissões, deverá rondar os 24% ao ano, até ao final da década.

Além da surpresa dos números, o estudo acaba sendo igualmente uma boa noticia para os construtores automóveis, que têm vindo a mudar a agulha para a mobilidade elétrica, como é o caso de gigantes como o Grupo Volkswagen ou a General Motors. E que seguem assim o caminho que tem vindo a ser desbravado por fabricantes como a Nissan ou a Tesla.

Volkswagen I.D.
O Volkswagen ID deverá ser o primeiro de uma nova família de modelos 100% elétrico da marca alemã, já para o final de 2019

China continuará a liderar

Já sobre aquelas que serão as principais tendências no mercado automóvel, até ao final de 2020, o mesmo documento defende que a China continuará a ser o maior mercado em termos absolutos, e igualmente para os elétricos, os quais, acrescenta, deverão tornar-se um quarto do total de viaturas comercializadas na Ásia, até 2030.

O documento refere também que os elétricos, não apenas crescerão, como substituirão muitos dos veículos com motores de combustão a circular nas estradas. Fazendo assim cair, em 2,57 milhões por dia, a necessidade de barris de petróleo — basicamente, aquilo de que a Alemanha necessita por dia.

Mais Gigafactories, precisam-se!

Pelo contrário, o aumento da procura por veículos elétricos levará igualmente a uma maior necessidade de fábricas de produção de baterias. Com a AIE a prever que sejam necessárias, pelo menos, mais 10 mega-fábricas, semelhantes à Gigafactory que a Tesla está a construir nos EUA, para responder às necessidades de um mercado constituído maioritariamente por veículos ligeiros — de passageiros e comerciais.

RELACIONADO: Investigadora portuguesa pode ter descoberto a bateria do futuro

Mais uma vez, será a China a absorver metade da produção, logo seguida da Europa, da India e, finalmente, dos EUA.

Tesla Gigafactory 2018
Ainda em construção, a Gigafactory, da Tesla, deverá conseguir produzir cerca de 35 gigawatts-hora em baterias, numa linha de produção que se estende por 4,9 milhões de metros quadrados

Autocarros tornar-se-ão 100% elétricos

Já no domínio dos veículos, a mobilidade elétrica dos próximos anos deverá abarcar, igualmente, os autocarros, os quais, segundo o estudo agora apresentado, representarão em 2030 cerca de 1,5 milhões de veículos, fruto de um crescimento de 370 mil unidades por ano.

RELACIONADO: Hyundai Elec City. Autocarro 100% elétrico chega já em 2018

Só em 2017, foram vendidos, em todo o mundo, quase 100 mil autocarros elétricos, 99% dos quais na China, com a cidade de Shenzhen a liderar a transformação, tendo já, neste momento, toda uma frota de veículos a operar nas suas artérias.

Necessidades de cobalto e lítio vão disparar

Resultado também deste crescimento, a Agência Internacional de Energia prevê ainda um aumento da procura, nos próximos anos, de materiais como o cobalto e o lítio. Elementos indispensáveis na construção das baterias recarregáveis — utilizadas não apenas nos automóveis, como também nos telemóveis e portáteis.

Mineração Cobalto Amnistia Internacional 2018 Amnistia Internacional
A mineração de cobalto, nomeadamente na República Democrática do Congo, é feito através do recurso a trabalho infantil

No entanto e uma vez que 60% do cobalto existente no mundo está na República Democrática do Congo, onde o produto é minerado com recurso a mão-de-obra infantil, os governos começam a pressionar os fabricantes para que encontrem novas soluções e materiais, para as suas baterias.

Sabes responder a esta?
Qual o preço da Skoda Superb Break blindada à venda no Reino Unido?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Já está à venda a Skoda Superb Break… à prova de bala

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos