Peugeot 308 SW: primeiro contacto

A Peugeot meteu-nos num avião e levou-nos até Touquet, no norte da França, para que ficássemos a conhecer o novo Peugeot 308 SW. Pelo meio ainda andamos de bicicleta, para queimar o foie gras e os queijos que comemos desalmadamente.

Já tínhamos estado por terras francesas na apresentação do Peugeot 308. Desta vez, o local escolhido foi Touquet, uma pequena comuna francesa e destino balnear de eleição dos ingleses (a seguir ao Algarve, claro).

No aeroporto, esperava-nos um Peugeot 308 SW 1.2 PureTech com 130 cv, versão Allure (27.660 €). “Recheados” com tudo o que a marca do leão tem para oferecer, fizemo-nos à estrada. O GPS apontava o Centro de Produção Française de Mécanique, em Douvrin, como destino, para uma visita à linha de montagem do motor que levávamos debaixo do capô. Pela frente tínhamos cerca de 140 km, num misto de estradas secundárias e autoestrada.

Peugeot 308 SW-5

Significativamente maior do que a berlina, o Peugeot 308 SW conserva o espírito dinâmico e não perde a postura focada. O volante mais pequeno, estilo kart, dá bastante liberdade e controlo, permitindo uma abordagem confiante aos desafios que a estrada nos apresenta, característica que não se perde em relação à berlina.

Motores

De resposta pronta, o motor 1,2 Puretech de 130 cv, vê o binário de 230 nm disponível logo às 1750 rpm. Aqui a experiência de condução leva nota alta, é um pequeno motor de 3 cilindros com fôlego de gigante. Quando aceleramos a fundo grita “Vive La France!” com sotaque americano, ou não fosse o turbo “made in USA”.

Apesar de a marca francesa reclamar consumos de 4,6 litros aos 100 km, este terá o seu posto comprometido contra os motores diesel, cuja procura é bastante superior neste segmento.

Já no Centro de Produção para uma visita guiada às instalações, uma senhora obrigou-nos a vestir um colete refletor e uns sapatos especiais, a última moda por aqueles lados.

Peugeot 308 SW-23

O Centro de Produção Française de Mécanique é responsável pelo processo de montagem do motor 1,2L Puretech. Podem ver nas fotografias as várias fases do processo, até ao produto final. Com o controlo de qualidade a dominar a agenda diária do Centro de Produção, o nosso guia aponta para vários montes de componentes marcados a vermelho e diz: “é lixo caro, mas é necessário que assim o seja.”

Peugeot 308 SW-15

A saída da fábrica fez-se em direção a Touquet, onde no hotel nos esperava a tradicional conferência de imprensa. No entanto, agora tínhamos nas mãos o Peugeot 308 SW 2.0 BlueHDI (Allure) com 150cv e a nova caixa de 6 velocidades automática da marca francesa EAT6 (36.340 €), aqui em estreia absoluta.

Os consumos no Peugeot 308 SW 2.0 BlueHDI rondaram sempre os 5/6 litros, o que seria de esperar, dado que o ritmo mais acelerado foi uma constante. A insonorização e a qualidade geral dos materiais é bastante elevada, o que nos dá uma sensação de bem estar a bordo. Os bancos dianteiros desportivos tipo baquet, dão-nos liberdade para acelerar nas curvas, conferindo um bom apoio lateral.

Peugeot 308 SW-30

No último dia tivemos a oportunidade de experimentar o novo motor 1,6 BlueHDI de 120cv na versão berlina e SW, que estará disponível apenas daqui a uns meses em Portugal. Este motor emite apenas 85 g/km de CO2 e tem um consumo anunciado de 3,1 litros aos 100 km, posicionando-se para ser o mais requisitado em terras lusas. Com um binário de 300 nm disponível às 1750 rpm, consegue mover o Peugeot 308 SW com bastante facilidade.

Nova caixa automática (EAT6)

A nova caixa automática é muito melhor do que a anterior e acrescenta, sem sombra de dúvida, a cereja no topo do bolo. É verdade que ainda não a testamos devidamente mas este primeiro contacto, deu para perceber que aquilo que a separa de uma outra qualquer caixa automática de 6 relações é imperceptível para o condutor comum.

Com tecnologia “Quick Shift”, vulgo “modo S”, a EAT6 consegue digerir bem as solicitações do nosso pé direito, sem ficar a “moer” a resposta.

Os consumos no Peugeot 308 SW 2.0 BlueHDI rondaram sempre os 5/6 litros, o que seria de esperar, dado que o ritmo mais acelerado foi uma constante. A insonorização e a qualidade geral dos materiais é bastante elevada, o que nos dá uma sensação de bem estar a bordo.

Peugeot 308 SW-4

Design e Dimensões

Avaliar o design é um bocado como entrar na terra onde todos mandam e não há um chefe, aqui apenas vos deixo a minha opinião imparcial. O aspeto geral é “fora da caixa”, um bocado em contra ciclo com o design da concorrência, que tenta ser fiel ao passado.

Peugeot 308 SW-31

No interior, que ganhou o prémio de  interior mais belo do mundo na última edição do Festival Internacional do Automóvel de Paris, mantém-se a imagem clean e a alinhar com as últimas tendências do design. É agradável passar a mão pelo habitáculo e sentir as linhas fluídas sem grandes interrupções, ainda que aqui as opiniões se dividam, havendo quem ache que o “vanguardismo” pode levar o modelo a um envelhecimento mais rápido.

Quanto ao exterior, o Diretor de Estilo da Peugeot, Gilles Vidal, diz que o maior desafio foi conciliar a traseira com a dianteira, sendo os LED traseiros uma reminiscência para a joalharia. Segundo Vidal, conseguimos identificar um Peugeot 308 SW à noite a 500 metros de distância.

Em relação à geração anterior, o novo Peugeot 308 SW cresceu 84 cm no comprimento, 11 cm em largura e perde 48 cm em altura. Para além destes números contribuírem para uma performance superior, há agora mais espaço na bagageira (+90 litros), cuja capacidade é de 610 litros.

Peugeot 308 SW-32

O sistema “Magic Flat” permite o rebatimento dos bancos traseiros automaticamente transformando a mala numa superfície plana com 1765 litros de capacidade.

A plataforma EMP2, contribuiu ainda uma redução significativa de peso (70kg), num total de 140 kg a menos em relação à geração anterior do Peugeot 308 SW.

Tecnologia

Peugeot 308 SW-8

Há muita tecnologia a bordo e nós conseguimos experimentar quase tudo. Dentro do leque de opcionais tecnológicos há duas novas entradas: o Park Assist com estacionamento na diagonal e o Driver Sport Pack.

O Driver Sport Pack vinha instalado no primeiro Peugeot 308 SW que testámos. Um botão “sport” localizado ao lado do botão “start”, uma vez accionado, altera as configurações de condução, imprimindo uma postura mais desportiva no Peugeot 308 SW.

Peugeot 308 SW-7

Direcção assistida desportiva, cartografia do pedal do acelerador reativa, maior reatividade do motor e da caixa de velocidades, informação no painel de instrumentos a vermelho e visualização de potência fornecida, pressão de sobrealimentação, aceleração longitudinal e transversal e uma sonoridade do motor amplificada (através dos altifalantes) são as modificações que provoca.

Peugeot em todo o lado

O “Link My Peugeot” é uma app que permite ver estatísticas dos percursos, autonomia, continuar a navegação para um local a pé, localizar a viatura e receber alertas de manutenção.

Outra aplicação nova é a Scan My Peugeot, que através de uma tecnologia de reconhecimento de imagem, nos permite apontar para uma parte do carro e receber informações sobre a mesma.

E para Portugal?

Peugeot 308 SW-29

Em Portugal estarão disponíveis 3 níveis de equipamento: Access, Active e Allure. Tal como na berlina, haverá um Pack Business para a versão Access, destinado ao mercado frotista.

A Peugeot espera vender entre 1500 a 1700 Peugeot 308 SW ainda este ano no mercado português. O Peugeot 308 SW chegará aos concessionários no início do Verão.

Access

1.2 PureTech 110 cv (23.400 €)

1.6 HDi 92 cv (24.550 €)

1.6 e-HDi 115 cv (25.650 €)

Active

1.2 PureTech 110 cv (24.700 €)

1.2 PureTech 130 cv (25.460 €)

1.6 HDi 92 cv (25.850 €)

1.6 e-HDi 115 cv (26.950 €)

Allure

1.2 PureTech 130 cv (27.660 €)

1.6 HDi 92 (28.050 €)

1.6 e-HDi 115 (29.150 €)

2.0 BlueHDi 150 cv (35.140 €)

2.0 BlueHDi 150 cv Auto (36.340 €)

Mais artigos em Testes

Os mais vistos

Pub