Código de Conduta

Ainda que a objectividade absoluta, na abordagem aos conteúdos não seja possível por maioria de razão, é no entanto obrigação e compromisso de toda a equipa do Razão Automóvel, buscar incessantemente a verdade factual na efectivação do seu trabalho.

Assim, e por forma a reforçar o nosso compromisso de objectividade, isenção e rigor com os nossos leitores, aprovámos este Código de Conduta, o qual constitui uma extensão desses compromissos e das demais normas éticas, deontológicas e legais aplicáveis à actividade informativa do Razão Automóvel.

Assim, dispomos as seguintes linhas orientadoras da nossa actividade numa base de transparência dos nossos métodos de trabalho:

1. Responsabilidade
Os editores/colaboradores do Razão Automóvel devem informar com objectividade, isenção e rigor, da forma mais completa e esclarecedora possível, assim contribuindo para efectivação do direito à informação séria e de qualidade, fomentando a formação de uma opinião pública responsável.

O Razão Automóvel compromete-se a não divulgar material impreciso ou pouco rigoroso, seja ao nível gráfico ou textual, susceptível de induzir em erro os leitores.

2. Liberdade
Os editores/colaboradores do Razão Automóvel têm o dever de defender a liberdade de imprensa, lutando contra quaisquer formas de censura, como pressuposto essencial do Estado de Direito, do regime democrático e da própria dignidade do exercício da actividade informativa. A liberdade de imprensa implica, nos termos constitucionais e legais, a liberdade de informação, expressão, criação e intervenção de jornalistas, sem prejuízo dos poderes da direcção.

3. Plágio
O plágio é inaceitável e por isso interdito, seja de texto, imagem, ou de outros suportes multimédia. Toda a transcrição, total ou parcial, implica a identificação do respectivo autor, bem como do respectivo suporte.

4. Correcção de erros e direito de resposta
Todos os erros, seja de omissão ou factuais, serão prontamente corrigidos. Quando se justifique, deve ser apresentado um pedido de desculpas público. Sendo impossível evitar o erro, é nossa obrigação corrigi-lo e minorar os seus efeitos.

Além de reconhecer e rectificar os erros logo que deles tenham conhecimento, é nossa obrigação cumprir com rigor as normas legais relativas ao direito de resposta e rectificação.

5. Linguagem e Discriminação
Em todos os conteúdos do Razão Automóvel não serão aceitáveis insultos, obscenidades, blasfémias ou outro tipo de ofensa, seja em função da nacionalidade, raça, género, orientação sexual ou religiosa, a não ser quando se revelem essenciais à compreensão da notícia ou à correcta contextualização do conteúdo.

6. Opinião
Deve ser feita uma clara distinção entre notícias e opinião. Artigos que contenham opinião ou interpretação subjectiva devem ser identificados

7. Assinatura
Todos os trabalhos devem ser assinados pelo(s) respectivo(s) autor(es). Com direito de oposição dos seus autores, às modificações que desvirtuem o trabalhos e à recusa de assinatura dos mesmos. Saem deste âmbito, as alterações que sejam ditadas por necessidades de correcção e de dimensionamento.

8. Informação Paga
O Razão Automóvel estabelece como regra o não pagamento de informações e entrevistas. Somente em casos excepcionais, quando o interesse público for manifesto e apenas autorizado pela direcção editorial.

9. Publicidade
O espaço publicitário ou promocional deve ser claramente assinalado, evitando qualquer confusão para o leitor entre conteúdo noticioso e publicitário. Não deve ser atribuído tratamento preferencial a anunciantes ou grupos de interesse.

10. Lei
O Razão Automóvel rege a sua actividade informativa em respeito pelas normas acima descritas e de acordo com as demais leis em vigor que regem a actividade de imprensa e informação.