Volkswagen I.D. Crozz: estilo desportivo e 306 cv eletrizantes

O novo Volkswagen I.D. Crozz é mais um capítulo da estratégia da Volkswagen para a sua futura gama de modelos elétricos. O objetivo é vender um milhão de veículos elétricos por ano até meados da próxima década.

Nem foi preciso esperar pelo início do Salão de Shanghai: a Volkswagen acaba de revelar o novo I.D. Crozz. Depois do hatchback, apresentado no Salão de Paris, e da «pão-de-forma», no Salão de Detroit, foi a vez da marca alemã mostrar o terceiro (e que provavelmente não será o último) elemento desta família de protótipos 100% elétricos.

Como tal, os elementos característicos desta gama de modelos continuam presentes (vidros panorâmicos, secção traseira em preto, assinatura luminosa em LED), num modelo com formas a meio caminho entre um SUV e uma berlina de quatro portas. O resultado é um crossover com 4625 mm de comprimento, 1891 mm de largura, 1609 mm em altura e 2773 mm de distância entre eixos.

A Volkswagen tinha prometido um interior espaçoso e flexível e, a julgar pelas imagens, a promessa foi cumprida. A ausência do pilar B e as portas traseiras deslizantes facilitam a entrada e saída no veículo e dão a sensação de espaço. A marca alemã sugere que o novo I.D. Crozz tem um espaço interior equivalente ao do novo Tiguan Allspace.

VEJAM TAMBÉM: Volkswagen vai abandonar os «pequenos» Diesel em favor dos híbridos

Tal como o I.D. Buzz, também o I.D. Crozz recorre a um par de motores elétricos – um em cada eixo – totalizando 306 cv de potência combinada às quatro rodas. Permite, de acordo com a Volkswagen, acelerações dos 0 aos 100 km/h em menos de seis segundos. A velocidade máxima, limitada, fica-se pelos 180 km/h.

2017 Volkswagen I.D. Crozz

Este motor é alimentado por um pack de baterias de 83 kWh que permitem uma autonomia de até 500 km num único carregamento. Por falar no carregamento, através de um carregador de 150 kW é possível carregar 80%  da bateria em apenas 30 minutos.

A NÃO PERDER: Anúncio do novo Volkswagen Arteon foi filmado em Portugal

Em termos dinâmicos a fasquia está elevada: a Volkswagen refere-se ao I.D. Crozz como “um modelo com um desempenho dinâmico equiparável ao do Golf GTi“. Isto deve-se ao novo chassis com suspensão MacPherson à frente e suspensão adaptativa atrás, ao baixo centro de gravidade e à distribuição de peso quase perfeita: 48:52 (frente e trás).

Outro dos trunfos do Volkswagen I.D. Crozz são sem dúvida as tecnologias de condução autónoma – I.D. Pilot. Com um simples premir de um botão, o volante multifunções retrai-se para dentro do tablier, permitindo viajar sem ser necessário a interferência do condutor. Neste caso passa a ser mais um passageiro. Uma tecnologia que só deverá ser estreada nos modelos de produção em 2025 e, claro, após a devida regulamentação.

É para produzir?

A pergunta repete-se a cada protótipo que a Volkswagen tem vindo a apresentar nos últimos meses. A resposta tem variado entre o “é possível” e o “muito provavelmente”, e mais uma vez o presidente do conselho de direção da Volkswagen, Herbert Diess, voltou a deixar tudo em aberto:

“Se é possível fazer uma previsão 100% correta do que será o futuro, este é um desses casos. Com o I.D. Crozz estamos a mostrar como é que a Volkswagen vai transformar o mercado em 2020”.

Esta é de facto a data prevista para a chegada ao mercado do primeiro veículo elétrico derivado da nova plataforma MEB do Grupo Volkswagen. Resta saber qual será o modelo responsável por estrear esta plataforma, mas uma coisa é certa: será um modelo Volkswagen.

2017 Volkswagen I.D. Crozz
2017 Volkswagen I.D. Crozz

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Pub