Apresentação

Novo Citroën C5 Aircross revelado

O Citroën C5 Aircross é a resposta (irreverente) da marca francesa ao incontornável segmento dos SUV médios.

Apesar de atrasada para a “festa”, a Citroën quer recuperar o tempo perdido no seu «ataque» ao segmento dos SUV médios – um dos segmentos com maior crescimento nos últimos anos.

Depois do C4 Cactus, chega agora o C5 Aircross, seguindo a filosofia estética que serve de referência ao futuro da marca.

2017 Citroën C5 Aircross

Como já referimos, o Citroën C5 Aircross é a resposta da marca a um dos segmentos mais disputados do momento, onde se encontram propostas como o Nissan Qashqai, o Hyundai Tucson ou o “irmão” gaulês Peugeot 3008.

E tal como o seu “irmão”, também o C5 Aircross recorre à plataforma EMP2, a «superplataforma» que tem vindo a equipar progressivamente todos os modelos do segmento C (e segmentos superiores) do grupo PSA. Assim sendo, o novo SUV francês faz uso de uma arquitectura base de motor transversal frontal e tração dianteira. Haverá versões de tração total, mas já lá chegaremos.

O novo C5 Aircross será das maiores propostas do segmento. Os 4.5 metros de comprimento (1.84 m de largura e 1.67 m de altura) colocam-no no topo da categoria, assim como os 2.73 m na distância entre-eixos, o que deve corresponder a cotas de habitabilidade generosas.

2017 Citroën C5 Aircross

Estilo original e distinto

A transição de concept para modelo de produção conseguiu manter o carácter original do protótipo. A frente é dominada por uma generosa grelha bissectada que integra as luzes diurnas em LED e o duplo chevron na parte superior e os faróis, também em LED, na parte inferior.

A parte inferior da carroçaria assume características off-road, de aspeto mais robusto e de cor negra, integrando uma nova interpretação dos famosos Airbumps.

A lateral é decididamente marcada pela assinatura cromada em C, que delimita a janela traseira. Tal solução, juntamente com os pilares a negro, dá a sensação que o tejadilho «flutua».

Na traseira as óticas são definidas por quatro oblongos em 3D LED, garantindo um fácil reconhecimento do modelo à distância.Ingrediente fulcral desta linguagem estética é a ausência de vincos, arestas vivas ou modelação expressiva das superfícies.

Um contraponto à agressividade visual que marca a generalidade dos desenhos automóveis atuais.

Citroën, novamente a rainha do conforto?

Caberá ao C5 Aircross a estreia do Citroën Advanced Comfort, um conjunto de componentes e tecnologias que prometem fazer da Citroen novamente a rainha do conforto. A concepção do sistema deu origem ao registo de 20 patentes.

Destaca-se o uso do sistema Progressive Hydraulic Cushions (Amortecedores Hidráulicos Progressivos), em que são adicionados ao sistema de suspensão dois batentes hidráulicos – um de expansão e outro de compressão -, prometendo dar ao C5 Aircross uma qualidade superior de filtragem das imperfeições da estrada.

O efeito tipo «tapete voador», que conhecemos dos Citroën de antigamente, é o resultado que a marca pretende alcançar.

Também os bancos serão fulcrais para o conforto desejado pela marca. A Citroen promete bancos de grandes dimensões e espessura, que, segundo a marca, darão a sensação de estarmos sentados em poltronas. Estes podem ser aquecidos e até podem dispôr de cinco programas de massagem.

O isolamento acústico também mereceu a atenção redobrada dos engenheiros da marca, destacando-se os vidros de dupla espessura dianteiros e com camada isolante.

GLÓRIAS DO PASSADO: Como transformar o Citroën Jumper no icónico «Type H»

Segundo a marca, o tablier recorre a materiais suaves contrastando com o aspecto tecnológico dos gráficos do painel de instrumentos e ecrã central. À frente do condutor temos um ecrã TFT de 12.3″ e no topo da consola central existe outro – tátil capacitativo HD -, de 8″.

Como seria de esperar, o C5 Aircross vem equipado com os mais recentes desenvolvimentos em sistemas de infoentretenimento, destacando-se o Citroën Connect Nav, com função Mirror Screen (incluíndo Apple Car Play).

As ajudas à condução também são vastas: desde o Active Safety Brake que atua nos travões automaticamente em caso de perigo, passando pelo Vision 360 que permite uma vista aérea do veículo em manobras de estacionamento.

O C5 Aircross será o primeiro híbrido plug in da marca, que o tornará também no mais potente dos Citroën

Como já referimos, o C5 Aircross recorre à plataforma EMP2, o que significa que maior parte das versões serão apenas de duas rodas motrizes. No entanto, este modelo pode vir equipado com o sistema Grip Control, permitindo auxílio motriz em pisos de menor aderência, recorrendo ao ESP para o seu funcionamento.

Para quem acha que SUV que é SUV tem de ter tração às quatro, tal opção será fornecida com a versão PHEV e-AWD (Plug-In Hybrid Electric Vehicle electric All Wheel Drive). O grupo motriz será composto por um motor térmico de 200 cavalos e dois motores elétricos – um por eixo – que, quando combinados, disponibilizarão até 300 cavalos de potência. Será o Citroen mais potente de sempre.

O carregamento das baterias poderá ser efetuado em andamento, nas fases de desaceleração ou usando o motor térmico como gerador.

O Citroën C5 Aircross vai ser apresentado no Salão de Xangai, que abre as portas a dia 21 de abril, iniciando a sua comercialização, para já, apenas em solo chinês. O mercado europeu vai ter de esperar pouco mais de um ano para conhecer o C5 Aircross.

Pub