De Tomaso Pantera GT5. O «felino» de produção limitada vai a leilão

Há mais de trinta anos, o De Tomaso Pantera intrometeu-se no campeonato dominado por marcas como a Lamborghini, Ferrari ou Maserati. Hoje, é um clássico que qualquer colecionador gostaria de ter na garagem.

Por volta da década de 70, poucas eram as marcas que combinavam o design italiano com a pujança dos motores Made in America. Numa altura em que o De Tomaso Mangusta esgotava os últimos cartuchos, a De Tomaso apresentou no Salão de Nova Iorque de 1970 aquele que se viria a tornar no seu modelo mais importante de sempre, o Pantera.

GLÓRIAS DO PASSADO: De Tomaso: o que resta da fábrica da marca italiana

Pela primeira vez na história da marca, era utilizada uma estrutura monocoque em aço. Mas mais que isso, o De Tomaso Pantera foi responsável por abrir portas para o mercado americano – no coração dos De Tomaso Pantera (até 1990) morava um motor V8 351 Cleveland, fruto do contracto de cooperação da marca italiana com a Ford.

De Tomaso Pantera GT5

É precisamente nos EUA que vai ser leiloado o De Tomaso Pantera GT5 nas imagens – versão com algumas modificações mecânicas e de carroçaria, cujo nome tem origem no Grupo 5 da FIA. É também um dos modelos mais raros da marca, foram produzidas somente cerca de 300 unidades.

De acordo com a Auctions America, o tempo não terá passado por este Pantera GT5. Foram gastos mais de 85 mil dólares em processos de restauro, que devolveram o desportivo à condição original, e o contador marca 21.000 km. O De Tomaso Pantera GT5 é um dos destaques do leilão de Fort Lauderdale, no próximo dia 1 de abril. E não, não é mentira…

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Pub