Opel Astra 1.6 BiTurbo CDTI: mais desportivo e «apressado» que nunca

07/02/2017
7.566 views
Share Button

Apoiando-se no sucesso nacional e internacional da 10ª geração do Opel Astra, a marca alemã estreia em Portugal um novo motor Diesel de 160 cv. Estas foram as nossas impressões.

Em 2015, a marca alemã apresentou a mais recente geração do Opel Astra, num segmento C que lhe é familiar – já lá vão 11 gerações de familiares compactos Opel – e onde a marca tem alcançado maior sucesso comercial no passado recente. Pelo meio, o Astra foi eleito Carro do Ano 2016 em Portugal e na Europa, e agora, passado um ano e meio desde o lançamento da geração K, a marca alemã alargou ainda mais a oferta para o seu bestseller, disponível na série OPC Line e com novos motores.

Um deles é precisamente o bloco 1.6 BiTurbo CDTI com 160 cv, que agora chega à variante de cinco portas para assumir a posição de topo de gama nas opções a gasóleo. E quais as diferenças para com a restante gama Astra? Fomos descobrir.

Design e habitabilidade: o que é que muda?

A gama Astra de cinco portas está distribuída por quatro níveis de equipamento: os mais modestos Edition e Business Edition, e os mais equipados Dynamic Sport e Innovation. Coube-nos a tarefa de testar a versão Dynamic Sport, uma versão que se distingue pelos para-choques dianteiros e traseiros redesenhados. Em conjunto com as novas saias laterais, estas alterações tornam o carro ligeiramente mais baixo e largo em relação ao modelo de série.

No interior, tal como as versões de entrada à gama, o claro avanço face à geração anterior do Astra faz-se sentir no design, habitabilidade e tecnologia. Além do sistema Opel OnStar, câmara Opel Eye, programador de velocidade com limitador, volante forrado a couro ou ar condicionado (entre outros), esta versão acrescenta forros a negro no tejadilho e nos pilares, em vez da tradicional tonalidade clara. Tudo o resto mantém-se inalterado.

Conhecidas as novidades, vamos ao que interessa?

Todos os elogios que tecemos à versão 1.6 CDTI de 110 cv aplicam-se a este novo motor 1.6 BiTurbo CDTI, que se evidencia pela capacidade de resposta. Graças aos dois novos turbocompressores de funcionamento sequencial, em dois patamares, o motor sobe de rotação com alguma facilidade até ao regime de 4000 rpm até encontrar os 160 cv de potência máxima.

Com este motor, o Astra é capaz de acelerar dos 0 aos 100km/h em 8,6 segundos até chegar aos 220km/h de velocidade máxima.

Na hora imprimir andamentos vivos, o motor 1.6 BiTurbo CDTI não teve dificuldades em responder aos nossos pedidos (a arquitetura de baixo peso, aerodinâmica e o conjunto chassis/suspensão também ajudam), isto sem abdicar da suavidade em todos os regimes de rotação. Sobre a caixa manual de seis velocidades, nada a apontar.

A NÃO PERDER: A História dos Logótipos: Opel

Outro dos pontos fontes do bloco 1.6 BiTurbo CDTI é sem dúvida a capacidade resposta a partir de regimes muito baixos: os 350 Nm de binário máximo estão disponíveis logo às 1 500 rpm. Em regimes mais altos, a recuperação dos 80 a 120km/h é feita em 7,5 segundos, dispensando por isso qualquer excesso de zelo nas ultrapassagens.

Tornar o motor mais eficiente e refinado foi também uma das prioridades dos engenheiros da Opel. Por isso, quando abrandamos o ritmo, o Astra passa para o modo «bem comportado» e proporciona uma condução confortável e silenciosa. Ao nível dos consumos de combustível, mesmo com uma condução pouco amiga da eficiência não é difícil chegar à casa dos 5 l/100 km.

Veredicto

Com a chegada desta versão 1.6 BiTurbo CDTI, a Opel completa assim a oferta Diesel da sua mais recente geração de motorizações. Sabendo das limitações do mercado nacional, este modelo irá representar uma fatia muito pequena das vendas totais da gama Astra – a própria Opel assume isso mesmo. De qualquer forma, trata-se de um modelo bem equipado, com um motor competente em todas as situações e que deverá contribuir para impulsionar (ainda mais) as versões de entrada da gama Astra.

MOTOR 4 Cilindros
CILINDRADA 1598 cc
TRANSMISSÃO Manual 6 Velocidades
TRAÇÃO Dianteira
PESO 1410 kg
POTÊNCIA 160 cv
BINÁRIO 350 Nm
0-100 KM/H 8,6 seg
VEL. MÁXIMA 220 km/h
CONSUMO 4,1 lt./ 100 km
PREÇO 31.760€
Apoiando-se no sucesso nacional e internacional da 10ª geração do Opel Astra, a marca alemã estreia em Portugal um novo motor Diesel de 160 cv. Estas foram as nossas impressões. Em 2015, a marca alemã apresentou a mais recente geração do Opel Astra, num segmento C que lhe é familiar - já lá vão 11 gerações de familiares compactos Opel - e onde a marca tem alcançado maior sucesso comercial no passado recente. Pelo meio, o Astra foi eleito Carro do Ano 2016 em Portugal e na Europa, e agora, passado um ano e meio desde o lançamento da geração K, a marca alemã alargou ainda mais a oferta para o seu bestseller, disponível na série OPC Line e com novos motores. Um deles é precisamente o bloco 1.6 BiTurbo CDTI com 160 cv, que agora chega à variante de cinco portas para assumir a posição de topo de gama nas opções a gasóleo. E quais as diferenças para com a restante gama Astra? Fomos descobrir. [gallery link="file" columns="4" ids="114362,114360,114358,114357"] Design e habitabilidade: o que é que muda? A gama Astra de cinco portas está distribuída por quatro níveis de equipamento: os mais modestos Edition e Business Edition, e os mais equipados Dynamic Sport e Innovation. Coube-nos a tarefa de testar a versão Dynamic Sport, uma versão que se distingue pelos para-choques dianteiros e traseiros redesenhados. Em conjunto com as novas saias laterais, estas alterações tornam o carro ligeiramente mais baixo e largo em relação ao modelo de série. No interior, tal como as versões de entrada à gama, o claro avanço face à geração anterior do Astra faz-se sentir no design, habitabilidade e tecnologia. Além do sistema Opel OnStar, câmara Opel Eye, programador de velocidade com limitador, volante forrado a couro ou ar condicionado (entre outros), esta versão acrescenta forros a negro no tejadilho e nos pilares, em vez da tradicional tonalidade clara. Tudo o resto mantém-se inalterado. Conhecidas as novidades, vamos ao que interessa? Todos os elogios que tecemos à versão 1.6 CDTI de 110 cv aplicam-se a este novo motor 1.6 BiTurbo CDTI, que se evidencia pela capacidade de resposta. Graças aos dois novos turbocompressores de funcionamento sequencial, em dois patamares, o motor sobe de rotação com alguma facilidade até ao regime de 4000 rpm até encontrar os 160 cv de potência máxima. Com este motor, o Astra é capaz de acelerar dos 0 aos 100km/h em 8,6 segundos até chegar aos 220km/h de velocidade máxima. Na hora imprimir andamentos vivos, o motor 1.6 BiTurbo CDTI não teve dificuldades em responder aos nossos pedidos (a arquitetura de baixo peso, aerodinâmica e o conjunto chassis/suspensão também ajudam), isto sem abdicar da suavidade em todos os regimes de rotação. Sobre a caixa manual de seis velocidades, nada a apontar. A NÃO PERDER: A História dos Logótipos: Opel Outro dos pontos fontes do bloco 1.6 BiTurbo CDTI é sem dúvida a capacidade resposta a partir de regimes muito baixos: os 350 Nm de binário máximo estão disponíveis logo às 1 500…

7.9

Bom

Nota Final

O familiar compacto da Opel assume aqui um carácter mais desportivo, por dentro e por fora.

Motor/Prestações

8.2

Dinâmica

8.2

Equipamento

7.8

Design

7.5

Preço Qualidade

7.5

Conforto Interiores

8

8

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter