Alfa Romeo 1900 M “Matta” (AR52): o verdadeiro antecessor do Stelvio

05/01/2017
2.166 views
Share Button

Na década de 50 a Alfa Romeo ganhou um concurso público do governo italiano para o fornecimento de viaturas militares. Nascia então o Alfa Romeo 1900 M “Matta”.

Já falta pouco para que o Alfa Romeo Stelvio chegue finalmente ao mercado. Estamos certos que muitos vão referir-se a ele como «o primeiro SUV» da Alfa Romeo, o que não está de todo errado. No entanto, o que muitos não sabem é que em 1952 a Alfa Romeo já tinha lançado um verdadeiro todo-o-terreno. Falamos do Alfa Romeo 1900 “Matta”, também conhecido por AR52 na sua versão civil (AR não significa Alfa Romeo, mas sim “Autovettura da Ricognizione”, isto é, “Veículo de Reconhecimento”).

Como é que nasce o primeiro jipe da Alfa Romeo?

No pós-II Guerra Mundial, todas as grandes potências europeias estavam impressionadas com o pequeno (mas implacável…) jipe americano, o Willys MB. A supremacia dos Willys face à concorrência era notória. Enquanto muitos governos decidiram encomendar os seus jipes à Willys-Overland, outros, como é o caso do governo italiano, decidiram lançar um concurso para a produção nacional de um veículo com soluções similares às do jipe americano. Até o próprio caderno de encargos era decalcado do pequeno Willys.

Duas marcas surgiram a concurso, a Fiat e a Alfa Romeo (naquela altura as duas marcas ainda estavam separadas). E foi o protótipo desenvolvido pela equipa de engenharia da Alfa Romeo, liderada por Giuseppe Busso, que mais convenceu os responsáveis italianos.

Giuseppe jogou pelo seguro. A plataforma foi quase copiada do Land Rover britânico, o design inspirado no Willys e o motor era derivado da berlina Alfa Romeo 1900 (um quatro cilindros multi-válvulas), que sofreu diversas modificações para se adaptar às necessidades deste tipo de veículos. A mais importante foi a adopção de um cárter seco (requisito do Ministério da Defesa), para assegurar a correta lubrificação de todos os componentes nos percursos todo-o-terreno.

Para assegurar a progressão nos terrenos mais difíceis, o “Matta” estava equipado com um arcaico, porém fiável, sistema de tração total com redutoras. A transmissão estava a cargo de uma caixa manual de quatro velocidades. Em termos de design, é impossível não encontrar semelhanças com o jipe americano, mas os italianos tinha de dar um ar da sua graça, não é? Basta olhar para a grelha do radiador,  que prescindiu das barras verticais por umas barras a recordar o símbolo da marca italiana.

RELACIONADO: Classe X: a primeira pick-up da Mercedes? Nem por isso.

No total, foram produzidas 2.059 unidades para uso militar e apenas 154 unidades para venda a civis. Apesar do sucesso do Alfa Romeo 1900 M “Matta” no terreno, em 1955 o Ministério da Defesa italiano rescindiu o contrato, escolhendo a Fiat para continuar a produzir os seus veículos de reconhecimento. Motivo? A mecânica do Fiat Campagnolo era mais simples e menos dispendiosa.

Há coisa que não mudam…

As corridas estão tão entranhadas no ADN da marca italiana que nem o Matta fugiu à tradição! Não estamos a brincar… a Alfa Romeo alinhou com o “Matta” na lendária corrida Mille Miglia e venceu. Naquela altura, a Mille Miglia tinha uma categoria dedicada às viaturas militares, e o Alfa Romeo 1900 M “Matta” não teve problemas nenhuns em bater o Fiat Campgnolo por 42 minutos! Perdeu o concurso mas ganhou a corrida…

Apesar de ter perdido o fornecimento para as forças militares, a Alfa Romeo continuou a recorrer ao Matta como veículo de apoio às suas expedições pelo mundo – eventos que naquela altura serviam para as marcas provarem a fiabilidade dos seus modelos.

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Tags

Diretor Editorial e co-fundador da Razão Automóvel. Tem 29 anos, ama os automóveis mas tem uma paixão secreta: as duas rodas! Praticante de todo-o-terreno, iniciou-se nas lides da condução aos comandos de um Citroen Ax. Não resiste a umas boas curvas, seja no asfalto ou numa folha de papel.