Quase 30 anos depois, este Nissan Patrol está de volta às dunas

O primeiro Diesel a terminar no top 10 do Dakar foi restaurado pela Nissan e regressou ao seu habitat natural, quase 30 anos depois do primeiro Dakar.

Não há dúvida de que os Diesel são motores relativamente comuns no todo o terreno. Basta olhar para a última edição do Dakar 2016, onde o francês Stéphane Peterhansel se sagrou vencedor aos comandos do Peugeot 2008 DKR16, equipado com um motor Diesel V6 3.0 bi-turbo. Mas nem sempre foi assim.

O primeiro modelo a conseguir provar a performance de um motor a gasóleo foi o Nissan Patrol no Dakar de 1987. Na altura, o modelo nipónico estava equipado com um motor 2.8 de quatro cilindros com 148 cv de potência, mas era a livery em tons de amarelo e o patrocínio da Fanta que despertava mais atenções.

Embora não tenha vencido a prova, o Nissan Patrol – com o espanhol Miguel Prieto ao volante – terminou na 9ª posição da geral, alcançando um feito que até então não se pensava que fosse possível aos comandos de um Diesel.

Desde então, este rallycar foi envelhecendo durante todos estes anos num museu em Girona, Espanha, mas em 2014, após ter tomado conhecimento da existência do carro, a Nissan comprou-o, enviou-o para o centro técnico da marca na Europa e começou imediatamente a trabalhar num projeto de restauro.

“O motor encontrava-se num estado lastimável, estava altamente corroído e não arrancava. O eixo dianteiro também estava bastante danificado, mas o pior era mesmo o circuito elétrico, porque tinha sido consumido pelos ratos”.

Juan Villegas, um dos responsáveis pelo projeto.

Felizmente, com ajuda dos desenhos e dos manuais originais, a equipa da Nissan foi capaz de devolver o Patrol à sua condição original, mas o projeto não ficaria completo sem uma visita ao deserto do norte de África. Podes vê-lo em ação no vídeo em baixo:

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Pub