É com este modelo que a MINI quer atacar o Dakar 2017

17/11/2016
1.759 views
Share Button

Após quatro anos de domínio absoluto, a MINI perdeu a última edição do Dakar para a Peugeot. A resposta surge agora na forma do novo MINI John Cooper Works Rally.

A MINI e a X-Raid voltaram a unir esforços para atacar a maior e mais mediática prova todo-o-terreno do mundo: o Dakar.

A base de partida foi, aparentemente, o MINI Countryman. Aparentemente porque do Mini Countryman só sobrou mesmo a aparência.

A carroçaria é fabricada em Kevlar, o chassis é tubular e o motor é uma unidade 3.0 Diesel de origem BMW. Em termos de potência, este MINI Jonh Cooper Works Rally desenvolve 340 cv e 800 Nm de binário máximo.

A NÃO PERDER: Mini Countryman chega em 2017 com motorização híbrida

Como já devem ter adivinhado pela potência anunciada, ao contrário do que poderíamos supor – face à superioridade demonstrada pela solução de duas rodas motrizes do Peugeot 2008 DKR – a MINI vai continuar a apostar nas quatro rodas motrizes. Como sabemos, os regulamentos do Dakar permitem que os protótipos de duas rodas motrizes sejam mais potentes, mais leves e tenham suspensões com maior curso.

2017-mini-john-cooper-works-rally-5

Assim, a MINI apostou em melhorar a aerodinâmica do modelo para atingir uma velocidade máxima superior – a marca reclama 184 km/h – e em baixar o centro gravítico do modelo, para maior agilidade e estabilidade. Será uma aposta vencedora? A marca aposta as suas fichas nas zonas mais difíceis do Dakar, onde poderá tirar todo o partido do sistema de tração e anular a desvantagem das zonas rápidas.

O Dakar 2017 arranca já no próximo dia 2 de janeiro com o piloto Mikko Hirvonen a liderar a armada do construtor britânico.

2017-mini-john-cooper-works-rally-7

2017-mini-john-cooper-works-rally-6

2017-mini-john-cooper-works-rally-1

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Tags
,

Diretor Editorial e co-fundador da Razão Automóvel. Tem 29 anos, ama os automóveis mas tem uma paixão secreta: as duas rodas! Praticante de todo-o-terreno, iniciou-se nas lides da condução aos comandos de um Citroen Ax. Não resiste a umas boas curvas, seja no asfalto ou numa folha de papel.